FANFIC - NÃO É MAIS UM ROMANCE LITERÁRIO - CAPÍTULO 13

Olá Amores!!! Hoje vamos curtir o 13° capítulo de "Não É Mais Um Romance Literário". Quer acompanhar a história desde o início? Clique aqui.

Isabella Swan têm a sua vida transformada após conhecer o enigmático romancista Edward Cullen. O que acontecerá com a estudante ao se envolver com alguém tão misterioso?

Autora : Jacqueline Sampaio
Classificação: +18
Gêneros: Romance
Avisos: Sexo


Capítulo 13


Pisquei um par de vezes tentando enxergar melhor, mas só via ele. Elegante em um terno preto, ele fumava um cigarro. Ao lado uma mulher de vestes vermelhas, falava alto, parecia incomodá-lo. Ele não havia me visto, felizmente. O que Edward estaria fazendo ali? Que pergunta! Aquele era um evento social, claro que convidariam um grande escritor a comparecer. Ainda assim me perguntava “O que Edward estaria fazendo aqui?”. Senti um pânico crescente. Teria corrido daquele lugar se Jacob não tivesse aparecido com as bebidas. Aceitei pegando a taça com as mãos tremulas. Jacob olhou-me fixamente. Sorvi rapidamente o líquido da taça.


–Licor de menta. Meu preferido. –Ele rapidamente voltou seu olhar para o salão como se procurasse algo. Ele o viu. Jacob fixou seus olhos na multidão e olhou Edward. Não me preocupei. Meu primo nem ao menos sabe da existência de Edward. Terminada minha bebida deixei a taça em algum lugar, retirei a taça de Jacob voltando sua atenção para mim.

–Vamos dançar? –Perguntei. Ele apenas me sorriu. Dizia sim com o sorriso. Puxou-me para o centro do salão, acabamos por ficar mais afastados de Edward e sua companhia. Começamos a valsar com maestria. Jacob dançava muito bem. Fora ele que me ensinou a dançar. Logo ele abraçou-me enquanto ainda dançávamos. Diminuímos o ritmo da dança, o abracei de volta. Este sussurrou em meu ouvido:

–O que Edward Cullen fez a você? –Estremeci. Mesmo continuando a dançar parecia estar em outro mundo.

–O que está falando? Eu...

–Eu vi vocês dois juntos. O reconheci de imediato. Tem se encontrado com ele, não é? –Não consegui proferir nenhuma palavra. Não conseguia. Afinal Jacob sabia quando eu estava mentindo.

–Jake, eu... –As lágrimas vieram.

–Agora entendo o porquê dessa sua mudança. Tem sofrido muito nas mãos daquele calhorda, não é? –O abracei com mais força, tentei chorar silenciosamente e fiquei satisfeita por ter conseguido. Jacob abraçou-me protetor, enquanto afagava meus cabelos. Engraçado dizer... Não lembrava que estávamos em um evento. Ergui um pouco a cabeça, não olhava para Jacob. Minha cabeça estava encostada em seu peito e foi nesse momento que o vi. Edward finalmente havia me percebido. A sua companhia tagarelava de costas para mim, mas os olhos dele estavam fixos nos meus. Disse algo para sua companhia, na certa pediu uma bebida a ela e esta prontamente saiu para atender ao seu desejo. E agora ele acendia um cigarro e ainda olhava-me para mim.

–Perdão Bella.

–Por que me pede perdão?

–Eu não devia tê-la trazido aqui. Tão logo corrigirei meu erro. Vamos sair daqui.

–Não precisa Jake. Eu estou bem. Sei o quanto é importante para você participar de eventos como estes e...

–Bella, nada me importa além de você. Jamais permitiria que ficasse em um local que a desagrada.

–O local não me desagrada Jake.

–Mas a presença daquele escritor sim. Só me pergunto o que um tipo como aquele pode ter feito para você sofrer tanto. –Os olhos de Jacob estavam comprimidos pela raiva, moderei minhas palavras.

–Ele não errou para comigo. Fui eu que errei comigo mesma. Sabia muito bem que tipo de pessoa ele era, mas ainda sim eu...

–Vocês... Estavam juntos?

–Sim, mas não tínhamos um relacionamento propriamente dito. Seja o que tivemos acabou. Ainda sim não creio que esse seja o lugar para falarmos disso.

–Tem razão. Vamos, Bella? Confesso ter me cansado deste evento. Poderíamos ir para algum lugar para comermos algo. –Concordei. Não sei até quando conseguiria me fingir de forte vendo o homem por quem sou apaixonada nos braços de outra. Fomos a uma lanchonete a algumas quadras de minha casa.

–Então... Como conheceu o Cullen? –Perguntou-me Jacob enquanto saboreava meu lanche.

–Quer mesmo saber?

–Bem, visto que já os vi juntos, não precisa esconder nada de mim.

–Foi por acaso que o conheci. E o encontrei casualmente mais duas vezes. Depois disso passei a encontrá-lo por querer.

–E então começaram a ter um relacionamento. E por que terminou Bella? O que ele fez a você?

–Ele não me fez nada que eu já não esperasse. Fui eu que terminei o que tínhamos e ele concordou. Agora é passado.

–Mas sei que sofre. Posso ver isso em você Bella e me dói não poder fazer nada.

–Jake, não se preocupe. Eu estou bem. Isso vai passar. Só preciso de um tempo por que foi algo recente.

–Sei. Ainda sim, mesmo que diga que ele nada fez, sinto-me na obrigação de encontrá-lo e...

–Nem pense nisso Jake! Esqueça. –Comemos silenciosamente. Confesso ter sido bom desabafar com ele. Logo seguimos para casa, meus pais já dormiam. -Obrigada por tudo. –Agradeci ainda no carro.

–Espero que tenha aprendido a lição quando se envolve com esse tipo de gente. –Ele falou de forma branda, mas sei que aquilo era uma repreensão.

–Eu sei. –Sorri. Aproximei de Jacob e o beijei na bochecha. –Até qualquer dia.

–Bella? –Ele chamou-me, eu ainda no carro.

–Sim? –O olhei temerosa, Jacob tinha os lábios entreabertos, senti que queria dizer algo e aguardei. Ele deu mais um sorriso.

–Cuide-se. Boa noite. –Sorri para ele deixando o carro, meu coração disparado. Não sei o que pretendia dizer.

Adentrei a casa a passos lentos. Não queria despertar meus pais. Segui para o quarto. Tomei um rápido banho a fim de tirar a maquiagem. Vesti meu pijama, escovei meus dentes e joguei-me na cama. Aquele era o momento para despejar as lágrimas que contive no evento, mas procurei afastar quaisquer pensamentos envolvendo Edward. Eu só queria dormir sem ter lágrimas em meus olhos. Depois de meia hora tentando inutilmente adormecer, eis que me sinto assaltada por uma sensação estranha. Levanto-me pagando o celular, nenhuma mensagem ou ligação.

–Estranho... –Murmuro no escuro de meu quarto. Acendo o abajur e pego meu hobby. A sensação de que deveria deixar o quarto. Não sei o que me deu para sair de hobby pela janela do meu quarto, ainda sim o fiz. E não entendi porque ele estava lá. Porque em frente a minha casa. O cigarro antes na boca, fora jogado no chão. Os braços cruzados em frente ao corpo, encostado no carro.

–O que faz aqui? –Perguntei aturdida.

–Menininhas como você deveria estar dormindo. –Falou com frieza.

–Rapazes como você deveriam aproveitar a noite ao invés de ficar prostrado em frente a uma casa de família. –Rebati do mesmo jeito frio e até um pouco sarcástico característico dele. Ele deu um meio sorriso.

–Não sabia que tinha essa língua ferina Bella.

–Tem muitas coisas sobre mim que desconhece... Edward Cullen.

–Como... O quanto pode ser ainda mais infantil? –Ele disse.

–O quê?

–Indo para um evento com um homem. Queria que sentisse ciúme?

–Nem ao menos sabia que estaria lá. Jacob convidou-me e eu o acompanhei.

–Jacob, o seu primo. Vocês são muito parecidos fisicamente. Estranho pensar... Apesar de ser um familiar seu, ele não a olha com um carinho fraterno. Cobiça você como um homem.

–Não tira conclusões dessa natureza. Jake não é igual a você.

–Todos os homens são iguais a mim Bella e... –Ele levou a mão na testa, cambaleou.

–Edward! –Corri até ele. Estava de joelhos no chão, eu a sua frente. Toquei sua testa. –POR DEUS! ESTÁ FERVENDO! –Retirou minha mão de si.

–Deixe-me em paz. –Murmurou entrando rapidamente no carro.

–Edward, você não está bem. Não vá dirigir! –Alertei, ele como eu já imaginava não me deu ouvidos. Saiu...


2 comentários:

tete disse...

nossa que ele tem?estranho eu queria muito que eles se entendece logo pena os capitulos sao tao pequenos mas e muito lindo beijos

Jannáyra Menezes disse...

Coitado... eu acho que ja esta apaixonado! eu tenho quase certeza na verdade

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o post: