FANFICTION - NÃO É MAIS UM ROMANCE LITERÁRIO

Boa tarde amores !!!! Hoje começaremos com uma nova FANFIC no blog! A Fic será postada diariamente as 19:00 hrs. Espero que vocês gostem!


Isabella Swan têm a sua vida transformada após conhecer o enigmático romancista Edward Cullen. O que acontecerá com a estudante ao se envolver com alguém tão misterioso?


Autora : Jacqueline Sampaio
Classificação: +18
Gêneros: Romance
Avisos: Sexo



Capítulo 1


Minha vida, minha pacata vida, minha entediante vida. Nada de surpreendente ocorre. Sou apenas uma típica colegial de dezesseis anos tentando sobreviver às aulas cansativas, professore chatos e é claro provas grotescas.

–Bella? Você está me ouvindo?
–Ah! Oi Angela! Desculpe-me, estou meio ausente.

–Meio é eufemismo garota! O que houve para você está tão aérea?

–Nada não Angela! Então o que dizia?

–Bella, temos que fazer o trabalho de história para a próxima semana. Fazemos na sua casa ou na minha?

–Acho melhor na minha Angela. Nesse final de semana?

–Tudo bem.

Angela é minha melhor e única amiga da escola em que estudo. Fazemos o segundo ano do colegial. Se não fosse por ela acho que cabularia aula com a mesma facilidade que respiro, ou seja, o tempo todo.

–E então minha filha como foi seu dia na aula? –Perguntou minha mãe Renée enquanto jantávamos na companhia, é claro, de meu pai.

–Foi ótima mãe.

–Está tendo dificuldades com literatura ainda? –Dessa vez quem me questiona é meu pai.

–Não muito.

–Talvez devêssemos procurar um professor ou professora particular para você minha filha. –Disse minha mãe, enquanto recolhe os pratos sujos levando-os para a pia.

–É... Talvez. –E depois de proferir estas palavras saio da mesa. –Eu vou dormir agora. Tenho que acordar cedo. Boa noite pai e mãe.

–Boa noite querida. –Disse meus pais em um uníssono. Meus pais são Charlie e Renée, pais amorosos e dedicados. Apesar de serem muito ocupados, já que trabalham como professores universitários, eles sempre conseguem estar a par do que ocorre em minha vida. Eu deveria me sentir satisfeita com a vida que levo, mas sinto-me um pouco entediada com tudo, desejando um acontecimento novo que me faça sentir viva. A Angela diz que preciso de um amor, um rapaz. Meus pais dizem que preciso de um trabalho e eu digo que preciso dormir.

–Acho que vai chover...

–Não diga uma coisa dessas Angela! Sai tão apressada de casa que esqueci de pegar meu guarda chuva! Droga! Não posso me molhar ou deixar meu material molhar, caso contrário meus pais ficarão furiosos!

–Não se preocupe Bella. Talvez você chegue em casa antes da chuva.

–É Angela... Talvez. –E como eu imaginei a chuva caiu antes do termino das aulas.

Felizmente era apenas uma garoa por hora, poderia ir para casa sem me preocupar em chegar ensopada. Despedi-me rapidamente de Angela passando a fazer o caminho que me levaria para casa. Aproveitei para pegar um atalho pelo parque que ficava nas proximidades. E quando estava próxima da ponte que cortava um pequeno lago no local, a chuva simplesmente desabou.

–DROGA! –Enquanto praguejava passei a correr pela trilha de pedrinhas, agora pela ponte de madeira. Não me surpreendi ao cair. Agora além de ficar com as roupas ensopadas, meu material, que tentei proteger com o meu corpo, também ficara molhado. –ERA SÓ O QUE ME FALTAVA! –Levantei rapidamente pegando a pasta a alguns metros. Quando levantei, senti as gotículas da chuva deixarem de tocar meu corpo. Erguendo um pouco mais a cabeça pude ver que alguém segurava um guarda chuva e gentilmente estendia para mim impedindo-me de ficar ainda mais ensopada.

–Obrigada. –Quando olhei a figura diante de mim emudeci. Era um rapaz, um rapaz incrivelmente belo. Olhos cor ocre, tão intensos! Cabelos bagunçados, cor cobre, e a pele alva.

Ele pegou minha mão subitamente, estremeci com o contato. Fez com que eu segurasse no cabo de seu guarda chuva e saiu em meio à tempestade. Eu deveria chamá-lo de devolver o guarda chuva, mas não consegui. Fiquei estática diante de tamanha gentileza. Um estranho oferecendo seu guarda chuva e aceitando ficar molhado apenas para me poupar. Um estranho de olhos enigmáticos e beleza faiscante. Um estranho que talvez eu nem veja mais. Depois de sair do transe voltei a caminhar para casa.



Continua...



Ps : Yeah mais uma linda fic que iniciamos \o/ como falamos na NE não tivemos tempo de divulgação mas esperamos que curtam esses primeiros momentos da história da Jack. Até mais nos coments Bjs



2 comentários:

Jannáyra Menezes disse...

Que gentil o rapaz...do guada chuva

Bells disse...

Q lindoss!

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o post: