FANFICTION - NA ESCRURIDÃO

Boa tarde amores !!!! Hoje começaremos com uma nova FANFIC no blog! A Fic será postada diariamente as 17:00 hrs. Espero que vocês gostem!


Foi uma noite intensa. Precisa de um alívio... precisava fugir da dor. Aqueles olhos em mim.. seu corpo junto ao meu. Tudo isso dissipou minha dor, me deu um calmante natural. Mas não queria me envolver, não queria mais ninguém. Até ver a merda daquele exame me dizendo que a noite não tinha acabado. Eu não sabia nem o nome dele. Que merda!


Autora : Isabella Cullen
Classificação: +18
Gêneros: Romance
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez.



Capítulo 1 - Para esquecer



– Bella não estou vendo você muito bem esses dias, tem certeza que vai sair?

– Alice não enche o meu saco, vou sair, vou beber e me acabar com algum gato.

– Sabe Bella isso não faz bem.

– NÃO FAZ BEM VOCÊ TOMANDO CONTA DA MINHA VIDA DESSE JEITO.

E sai batendo porta. Alice era legal, minca companheira de quarto na faculdade. De início não gostei dela, era muito praticinha e esquisita. Nunca a vi estudar, mas suas notas eram as melhores. Eu fazia administração e ela psicologia, quando entrei ela já estava lá e me ajudou muito com a tal ADAPTAÇÃO... mas muitas coisas aconteceram e eu realmente mudei. Ela ficou ali, do meu lado agüentando as minhas bebedeiras. Ela era legal, só que essa semana eu já estava no meu limite. Precisava beber... precisava de alguma coisa que amenizasse aminha dor.

Peguei minha ferrare e fui para uma boate no centro, os alunos quase não iam lá e eu poderia pegar alguém nos fundos sem constrangimentos depois. Rose já tinha chegado e estava dando show com Emmett na pista, eles deveriam procurar um quarto. Até para mim aquilo já estava passando dos limites. Sentei num banco do bar, estava lotado, a musica eletrônica e minhas pernas de fora com um tubinho preto e saltos vermelhos, não sei qual é a tara dos homens por saltos. Mas lá estava eu, sendo olhada por todos os machos que estavam ao rodro, precisava de uma bebida e depois de dois copos de vodka eu estava pronta. Fui para pista, dancei sozinha somente alguns minutos. E senti mãos grandes passando pelo meu corpo, só esperava que fosse gato... que fosse gato! E olhei para ele, seus olhos verdes penetrando a minha alma e dancei para ele, com ele, me esfregando nele... molhada para ele.Estpavamos envolvidos na música numa bolha de prazer tão grande que eu comecei a gemer no ouvido dele e senti seu membro já grande aumentar.

– Me tira daqui! – disse e ele saiu me puxando para os fundos da boate. Não deu tempo de mais nada, subi meu vestido e ele baixou um pouco as calças e penetrou fundo em mim, gemi alto de tanto prazer. Era grande e enorme, ele queria dar uma de delicado tentando esperar eu me acostumar.

– Vamos... não agüento mais esperar mete com força!

E como se tivesse tirado ele de uma prisão ele foi, violento, fundo e gosto. Me perdi de prazer nele e ficamos ali olhando um para o outro depois que acabou.

– Meu carro... – disse ofegante - ... quero terminar isso lá.

– Não está satisfeita? – Disse ele se ajeitando, passando as mãos pelo cabelo e sando um sorriso torto lindo.

– Quero ter boas lembranças dessa transa. Vamos ou cansou?

– Isso mesmo...vem...

E ele me seguiu como um cachorrinho no cio até o carro e levei ele até um canto escuro e ali recomeçamos a brincadeira. De quatro, sentada nele e com ele todo na minha boca. Gozei umas cinco vezes e o deixei na boate.

– Seu nome... – ele disse querendo um pouco mais, não ia ter nada além de uma boa transa e estava decido.

– Não importa, foi bom?

– Muito, queria...

– Até.

E arranquei com o carro para o campus, já eram quase cinco da manhã e eu estava ensopada de tanto suor. Tomei um banho e lembrei. TRANSEI VÁRIAS VEZES SEM A MERDA DA CAMISINHA COM UM DESCONHECIDO!

– Bella.. – Alice entrou no banheiro.

– Oi.

– Chegou agora?

– Sim.

– Dirigiu bêbada? – ela cruzou os braços.

– Dirijo muito melhor assim. – sorri me enchugando.

– Não vou a hospital nenhum caso vocÊ atropele alguém ou meta esse carro num poste! Ouviu?

– Nunca te pedi isso!

E sai do banheiro trancando a porta do meu quarto, dormi um sono pesado e acordei com Alice no meu ouvido. Batendo na porta feito uma desesperada, meio tonta e com dor de cabeça abri a porta.

– Alguém está morrendo?

– Não.

– Você está bem? – ela cruzou os braços.

– Sim.

– ENTÃO PORQUE RAIOS ME ACORDOU AS DEZ DA MANHÃ?

– Seu tio está na sala. – ela se vriou.

Puta merda ,eu tio. Me arrumei, coloquei uma roupa básica, penteei os cabelos rebeldes da última transa e fui para sala.

– Bom dia tio. – disse sentando do lado dele.

– Bom dia Isabella. Vim aqui ver com você se poderíamos passar na empresa hoje. Suas provas já acabaram e uns papéis precisam da sua ajuda e análise.

– Por que não os trouxe?

– Documentos sigilosos, não podem sair da empresa. Se arrume, o carro está esperando lá fora.

– Me arrumar para ir na MINHA empresa? Vou assim, é isso ou nada.

Ele me olhou da cabeça aos pés e se levantou.

– Vamos, coloca pelo menos um sapato.

Fui pegar meu chinelo e ele fez uma careta. Aro era a única família que eu tinha, meu pai e minha mãe morreram, cada um de uma forma diferente. E ele administrava a empresa. Eu só gastava o dinheiro, fiz administração para ver se conseguia entender um pouco mais do que ele dizia ser meu império. Só que eu meu desinteressei assim que completei dois anos de estudo. Fui descobrindo muitas coisas dos meus pais, de mim mesma... e tinha o maldito noivo que me deixou plantada no altar! Pois bem. Passei o dia na merda da empresa em reuniões, assinei sem ler e fui embora de noite. Alice estava na cozinha com Jasper, acho que cheguei num mau momento porque eles estavam vermelhos assim que abri a porta.

– Não se preocupem... não vi nada... não sei de nada e estou com tanto sono que não vou ouvir nada.

Ela ia dizer alguma coisa, mas entrei e bati a porta com força. Dormi até o outro dia meio dia e Alice me puxou para comprarmos a roupa da formatura que seria daqui a três semanas. Ela me enfiou numas lojas que eu sinceramente não me interessei por nada, salto alto e vestido não eram para mim definitivamente. A maioria das lojas não permitia que eu fumasse no interior então ficava ali fumando do lado de fora, aproveitando cada tragada. Rose saiu de uma loja do lado.

– Bella! Não vi vocÊ sair ontem.

– Acho que você e o Emmett não iriam ver a entrada do papa se ele fosse lá. Deram um show e tanto!

– Ai.. ele é muito homem para o meu gosto.

Alice saiu da bendita loja.

– Boa tarde Rose!

– Alice quanto tempo. – Não sabia que elas se conheciam

– Vocês se conhecem?

– Rose namora meu irmão idiota.

– Emmett é seu irmão? Te conheço a quatro anos e não sabia que tinha mais um irmão além do Edward.

– Ela não conhece o Edward?

– Não, por incrível que pareça eles nunca se esbarraram.

– Ele é solteiro Bella.

– Não quero compromisso, mas se ele quiser uma noite...

– Bella é meu irmão! – Alice cortou.

Terminei meu cigarro e minha paciência. Vim de carro graças a Deus.

– Vou lá. Preciso... – eu não precisava fazer nada. – Preciso ir.

E sai sem ouvir as despedidas delas.





Continua...




Ps : Mais uma estréia \o/ não deu tempo de divulgar porque decidimos de ultima hora hehe mas estamos aqui com mais uma linda história dessa vez escrita pela Isabella, esperamos que tenham gostado desse primeiro momento e amanhã estejam de volta ;) Aaaah e pedimos desculpa pela falta de atualização com a página principal de fics que já está sendo organizada. Até mais nos coments Bjs



3 comentários:

Jannáyra Menezes disse...

Ja estou amando a fic..essa bella promete

Jannáyra Menezes disse...

Ja estou amando a fic..essa bella promete

Bells disse...

Ameiii o Fic
Mto bom....

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o post: