FANFIC - NA ESCRURIDÃO - CAPÍTULO 9

Olá Amores!!! Hoje vamos curtir o 9° capítulo de "Na Escuridão". Quer acompanhar a história desde o início? Clique aqui.



Foi uma noite intensa. Precisa de um alívio... precisava fugir da dor. Aqueles olhos em mim.. seu corpo junto ao meu. Tudo isso dissipou minha dor, me deu um calmante natural. Mas não queria me envolver, não queria mais ninguém. Até ver a merda daquele exame me dizendo que a noite não tinha acabado. Eu não sabia nem o nome dele. Que merda!


Autora : Isabella Cullen
Classificação: +18
Gêneros: Romance
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez.




Capítulo 9 Nunca enganei ninguém



Eu abri os olhos e vi Edward e a mãe conversando e rindo no fundo do quarto, eu estava na merda de um quarto de hospital no soro. Levantei a mão e vi a agulha, soltei um gemido. Edward viu e sua mãe o acompanhou.

– Como está sentindo? – ele perguntou, parecia preocupado.
– Bem, acho que dormi demais.

– Bella você desmaiou.

Lembrei do refeitório.

– Coisa comum querida no estagio da sua gravidez.

Era Esme, toda sorridente e carinhosa e lembrei do porque eu fiquei tão nervosa, ela era a minha medica e ia fazer um monte de perguntas e isso realmente ia me deixar com mais vergonha se possível.

– Edward saia que preciso conversar com Bella sim?

– Mãe... – ele queria ficar?

– Edward a paciente é Bella e eu não acho que ela vá querer dividir certas coisas com você.

Esme esperta!

– Eu sou pai. – ele disse cruzando os braços.

– E eu sou SUA MÃE E ESTOU FALANDO PARA SAIR DO QUARTO.

Ele só abaixou a cabeça e saiu, sem perceber eu estava de cabeça baixa também, olhando meus dedos. Agora era a hora da vergonha, da maior vergonha da minha vida.

– Bella eu sei que sou avó da criança e... bom... mãe do Edward. Mas vamos tentar deixar isso de maneira mais confortável possível. Eu não estou aqui para julgar nada, só quero acompanhar a gravidez do meu primeiro neto.

E com aquele sorriso doce como alguém negaria algo a ela? Esme era o tipo de mulher agradável e simpática, poderíamos conversar horas sem gastar assunto.

– Me conte um pouco de você, como era a sua vida sexual.

– Eu nunca transei sem camisinha até Edward... olha... eu sou um pouco louca... mas eu não tenho... ou não tive nada... desculpa.. eu não quis me meter na sua família...

Esme segurou na minha mãe e deu aqueles sorrisos dela.

– Bella estou feliz por estar conosco. Eu sei que vai parecer estranho, mas Edward está feliz. Ele sempre quis um filho Bella... – ela pareceu pensar em algo – Você sabe que ele morou com uma namorada durante um ano não? – fiz que sim com a cabeça – Ela achou que estava grávida uma vez, ele ficou eufórico, comprou um par de sapatinhos brancos e levou lá em casa. Disse que eu seria avó e que queria que eu cuidasse da possível gravidez de Tânia, imagina como ele ficou quando o teste deu negativo.

Puta merda onde eu fui estacionar meu carro. Lembrei de quando ele soube da gravidez e das merdas sobre aborto que ele ouviu. Ele realmente deve ter ficado louco. Me senti culpada por ser eu a dar isso a ele, eu não merecia aquilo, aquela atenção e tudo que envolvia o mundo perfeito de Edward. Lágrimas começaram a descer do meu rosto, elas eram finas e sem muita quantidade. Não chorava a anos, ia ser complicado começar agora. Enxuguei rapidamente e olhei para Esme.

– Não sou a pessoa certa para isso Esme. Minha vida é mais complicado do que você imagina e acho que isso é mais uma confusão...

– Bella o que você acha de almoçar lá em casa? Só as meninas?

Esme era maluca, o que raios era aquele pedido agora?

– Seria um prazer ter você numa tarde de quarta.

– Tarde de quarta?

– É, somos muito ocupadas e assim fico próximas de minhas noras e também de Alice.

Péssima ideia, mais família.. mais compromissos familiares... cinco horas de terapia antes disso.

– Tudo... tudo bem...

Ela sorriu e começou a me fazer perguntas diversas sobre meus problemas de saúde, se eu sabia meu tipo sanguíneo e outras coisas. Não foi tão ruim assim e confesso que depois de alguns minutos já estava confortável a falar com mais tranqüilidade, era muito profissional. Ela fez alguns exames de toque e viu que estava tudo de acordo.

– Não vou passar uma ultra agora porque seus exames no outro hospital já bastam por enquanto, vou dar um encaminhamento para uma nutricionista e receitar algumas vitaminas, precisará para suportar o excesso de energia que seu corpo está usando para manter essa criança aí.

Sorri.

– E não se preocupe com Edward, ele vai ser chato, mas peço que entenda. É o sonho dele Bella.

Respirei fundo, aguentar Edward e suas atenções desnecessárias. Muito bem, são só nove meses. São só nove meses... poderia recitar esse mantra e me acalmar. Me vesti e fui para fora do quarto, não vi Edward, achei que ele estaria feito um maluco tentando escutar a conversa, mas encontrei Alice e ela estava com uma cara estranha. Me despedi de Esme e fui conversar com Alice.

– Onde está Edward.

– Na sala dele. – ela estava de mal humor.

– Eu vou lá, pegar minhas coisas.

E me dirigi para o terceiro andar, Alice falou algo que não entendi, mas eu só queria ir para casa não prestei atenção, Jane tinha me dito que a sala do Edward era uma das maiores e que custou uma fortuna reformar do jeito que ele queria. Por isso eu já sabia a sala e o andar.Entrei sem bater por falta de costume, na empresa eu só entrava assim na sala de Aro.e E encontrei uma loira sentada na mesa dele e ele sentado na cadeira com uma cara estranha, assim que me viu levantou-se de repente e eu cruzei os braços.

– Vim buscar minhas coisas. – se a merda da chave do meu carro não estivesse na bolsa que estava num sofá no fundo eu não teria ficado mais um segundo, uma raiva brotou em mim e eu simplesmente não estava afim de bater papo. Me dirigi até onde estava as minhas coisas e dei as costas para o casal.

– Então essa é Isabella.

Aquela loira queria levar um tiro na perna. Me virei.

– Essa Tânia Edward? – olhei para ele.

– Tânia essa é Isabella e Isabella essa é Tânia.

– Prazer. – ela disse sorrindo.

– Bom, tenho que ir. Bom plantão Edward.

E quando estava quase na porta já respirando com dificuldade ela abriu a merda do boca de novo.

– Tem certeza que o filho é seu? Ela..

Não ia arrumara um barraco. Só me virei e olhei bem para cara dela.

– Sabe, Edward... eu tenho muitos defeitos – minha voz era calma e eu sabia muito bem que o que diria iria arrasar com aquela loira sem sal – mas eu nunca entrei numa relação enganando ninguém, dei para todo mundo e todos sabem que eu não queria compromisso. Ao contrário de você Tânia, ou Edward sabe que ficou com Tim... acho que isso foi ao mesmo tempo que ele não?

Ela ficou branca e eu sorri para ela.

– Edward pode fazer o teste de paternidade quando quiser, mas o filho dele. Ao contrário de você eu não minto.

E sai batendo a porta, aquela filha de uma cachorra não ia sair sem ouvir poucas e boas do Edward seu eu bem conhecia ele, ela estava nesse exata momento quase levando na cara. Entrei na garagem morrendo de rir, quase não consegui dirigir de tanta satisfação. Coloquei meu som alto e ouvi Better than revange da Taylor Swift, morri de ri quando entrei o meu apartamento e lembrei da cara dela ao ver que eu sabia dela com Tim. Precisava de um banho e depois cama! Um longo banho quente me fez relaxar e sai do quarto de toalha e vi Edward sentado na cama. Gelei com aquilo.

– Como tem certeza? – ele perguntou.

–Fiquei com ele depois que ela cansou dele.

– E ela ficou com mais alguém?

– Só com ele, eles ficaram por meses.

– Eu não fui o suficiente?

– Sei lá.. pergunta isso para ela.

– ELA DISSE QUE NÃO FICOU COM ELE, CHOROU E TUDO! ISABELLA ISSO É VERDADE?

Peguei a merda do meu celular na bolsa e disquei os números. Dois toques e viva-voz.

– Isabella... com saudades amor?

– De você? Sempre Tim! – para ter informações precisava entrar no jogo dele.

– Vamos sair hoje?

– Não está com Tânia?

– Ah... querida você sabe que ela não me quer mais! Isso foi a tantos anos...

– Ela deixou mesmo o gostoso do Edward para ficar com você?

– Olha... não sei se ele era gostoso, mas ela gemia muito enquanto estava namorando com ele. – ele riu e Edward congelou na minha frente, tinha que acabar com aquilo, ele ia fazer merda.

– Bom, te ligo mais tarde bonitão.

– Estou na Sunset mais tarde, passa lá e te mostro o que é gemer.

– Vou pensar.

E desliguei. E ele saiu do quarto sem dizer mais nada. Terminei de me arrumar e deite na cama, pensei no que Esme me contou sobre eles, ele deveria estar arrasado. Vi meu celular, um milhão de mensagens de Jacob. Uma hora eu iria precisar conversar com ele, não poderia fugir dele por muito tempo. Não consegui dormir como queria levantei e fui até a cozinha... não tinha nada gosto. Olhei para as chaves do carro e pensei em ir no supermercado, comprar algo gostoso. Estava com fome, mas não sabia do que exatamente e prendi os cabelos e abri a porta.

– Onde você vai? – ele estava no corredor.

– Supermercado.

– Não tem comida?

– Estou com vontade de comer algo...

– Desejo? – ele sorriu torto.

– Pode ser, mas preciso encontrar primeiro.

– Eu te levo.

E fomos juntos, não conversamos muito. Acho que ele ainda estava abalado com Tânia, ela era a mulher da vida dele afinal. Iam casar, ter filhos, uma cerca branca e cachorros. Definitivamente cachorros. Aquilo me deixou enjoada.

– O que vai querer? – Já estávamos no estacionamento do mercado.

– Sorvete de baunilha.

– Baunilha? – ele disse sorrindo largamente.

– Por quê?

– Acho que o bebê e eu temos os mesmo gostos.




Continua...




3 comentários:

tete disse...

que lindo amei beijos

Jannáyra Menezes disse...

Aiiii que fofo..coitada do edward nao merecia isso..e a dona bella vai precisar mudar muito ainda..

Bells disse...

Aii q lindos!

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o post: