FANFIC - QUANDO MENOS SE ESPERA - CAPÍTULO 12

Olá Amores!!! Hoje vamos curtir o 12° capítulo de "Quando Menos Se Espera". Quer acompanhar a história desde o início?Clique aqui.



A fresta de luz que atravessou a escuridão não iluminava muito e não conseguia ver muito dele, e ele se escondeu mais nas sombras para evitar que eu o visse.


- O que faz aqui menina? ele rosnou e me encolhi, eu não devia ter subido.


- Eu sinto...


- Saia imediatamente. grunhiu, desesperada praticamente corri para fora da sala, mas em minha pressa tropecei em um tapete e antes que caísse no chão, braços fortes me rodearam e o calor do corpo alto e forte me envolveu completamente, arfei abrindo os olhos que nem notara que havia fechado e olhei para o meu salvador, não pude deixar de ofegar ao ver seus olhos de um ver profundo penetrantes me encarando.


- O obrigada... muito lentamente ele me ergueu me colocando em pé, mas suas mãos grandes ainda estavam sobre mim, exceto por seus olhos penetrantes, eu pouco via dele, ele se moveu para mais perto de mim. Ofeguei quando a luz que vinha da fresta da janela pegou do lado de seu rosto, uma fina cicatriz cruzava seu rosto, começando sobre a sobrancelha e indo por toda sua bochecha.


- Você não devia estar aqui.


Edward estava conformado com sua nova vida, uma vida de solidão, sem família, sem amigos, sem amor. Uma vida de clausura que ele impôs a si mesmo, se escondendo do mundo, se escondendo de si mesmo. Mas quando ele menos esperou ela surgiu em sua vida, trazendo tudo que ele achou que nunca mais teria. Pois é quando menos se espera que as coisas boas vem, basta esperar para ver.


Autora : Paula Halle
Classificação: +18
Gêneros: Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo




12. Não esperava que um dia saberia seu nome, ainda mais hoje.




– Bella. – ele riu. Qual era a desse cara?



– Como Isabella Swan?



– Sim.



– Ah você é a ninfeta do meu primo.



Puta Merda! Esse é Jasper Cullen?


– Como é que é? – ele riu novamente, e me afastei.



– Calma, não fique brava, só estava brincando. – ele piscou e bufei.



– Não vi graça nenhuma.


– Nervosinha você. Estava com Edward? – sorriu maliciosamente me olhando de cima a baixo.



Qual é a desse cara?



Arquei uma sobrancelha, ele continuou sorrindo.



Senti meu sangue ferver, esse cara me lembrava de idiotas como James, só gostavam de provocar as pessoas. E eu sabia muito bem como lidar com idiotas. Sorri abertamente por fim tocando em seu peito.



– Na verdade sim. Edward gosta de me dar bom dias especiais, se é que você me entende. – sorri mais ainda quando sua boca ficou aberta. – Se você me da licença eu vou me preparar para o dia.



Sem esperar por sua resposta sai da sala, e consegui me esgueirar até meu quarto. Assim que entrei tranquei a porta me jogando na cama.



Havia algo errado com o primo de Edward. Eu duvidava que ele somente estava brincando. Podia sentir que tinha alguma coisa lá, era só uma intuição, mas desde que Edward disse que ele agiu estranho quando veio visitá-lo eu tive a sensação de que Jasper não era uma pessoa legal. E esse nosso primeiro encontro é a prova de que esse homem não presta.



Talvez fosse melhor não ir vê-los mais tarde, duvidava que eu me controlasse se Jasper agisse como um idiota, ou pior se fingisse de bonzinho.



Ouvi uma batida na porta, devia ser minha mãe, grunhindo me levantei, destranquei a porta, sorrindo ao ver meu pai.



– Bom dia querida.



– Hey papai. Algo errado?



– Não, eu queria saber se quer sair conosco?



– Sair?



– Sim, os Cullen vão passar o dia com o Sr. Masen, e ele nos deu o dia de folga. Vou levar sua mãe a cidade para um passeio.



– Ah legal. Mas não é melhor só vocês dois?



– Bem sim, mas não queremos deixar você para trás. – sorri o abraçando.



– Não seja bobo papai, eu posso ligar para Seth e passar o dia com ele e Claire.



– Tem certeza?



– Sim, sim. – o soltei. – Vá se divertir, vejo vocês mais tarde.



– Talvez amanhã.



– Amanhã? – arquei uma sobrancelha e ele riu.



– Já que não vai conosco, vou levá-la para passar a noite em um hotel.



– Oh, muito bem papai. – pisquei e ele riu bagunçando seu cabelo.



– Espertinha. Venha tomar café conosco, antes de irmos.



– Só vou me trocar. – ele deu uma rápida olhada em minhas roupas, ainda usava as de ontem a noite, então não havia como ele desconfiar, mesmo assim ele me deu um olhar estranho.



– Ok. – ele beijou minha testa e se foi.



Assim que ele saiu me apressei em tomar um banho rápido, e vesti um dos meus vestidinhos novos. Era rosa claro, de alças finas e ia até metade das minhas coxas. Calcei sapatilhas brancas, e deixei meus cabelos soltos.



Sai do quarto encontrando meus pais na cozinha, desejei bom dia indo me servir de café e sentando ao lado deles.



– Bom dia.



– Bom dia querida. Não quer ir mesmo conosco?



– Não mamãe, você e o papai precisam de uns momentos sozinhos. Eu já tenho planos com Seth. – ela sorriu alegremente olhando para meu pai.



– Está bem. – começamos a comer, e me lembrei de Edward.



– O Sr. Masen, não vai se juntar a nós?



– Não. Ele está com os tios e o primo.



– Não gosto daquele garoto. – meu pai resmungou e o olhei confusa.



– Por quê? – será que assim como eu, ele podia notar que havia algo de errado com Jasper.



– Seu pai está sendo bobo Bella, Jasper nunca fez nada.



– Fez o que?



– Eu sei o que eu ouvi Renée.



– Ouviu o que?



– Nada Bella.



– Ah não, agora quero saber.



– Charlie. – mamãe grunhiu, o fazendo bufar.



– Eu o ouvi falando com a alguém no celular. Claramente falando mal de Edward com alguém.



– Sério?



– Sim, ele dizia, que não precisava se preocupar, Edward estava inútil e ia passar o resto da vida mofando aqui.



– Filho da puta!



– Bella, não fale assim de Esme.



– Oh desculpa. – esqueci completamente que ele era filho dela. Esme era uma pessoa tão legal.



– Tudo bem. Mas não fique falando essas coisas.



– Sim senhora. Vocês contaram a Edward? – ambos se olharam.



– Não, - foi papai quem disse. – O que poderíamos dizer Bella? Ele é primo do Sr. Masen, somos somente os empregados. Sem contar que ele não machucou Edward, ele só disse algumas coisas ruins sobre ele. Isso pode não ser nada.



– Verdade. Mas Edward está melhorando agora, e se Jasper fizer algo pra ele? – os dois me olharam atentamente, e senti minhas bochechas esquentarem, os dois riram.



– Você gosta de Edward? – papai perguntou e comecei a engasgar como uma louca. Bebi meu do suco que estava na minha frente e quando estava mais recuperada o encarei.



– O que?



– Tudo bem se gostar filha, nós gostamos também. – mamãe assentiu e corei mais anda.



– Ah sim, eu gosto, ele é muito legal, não que eu conheça ele pessoalmente, mas sei que ele é legal, por que vocês falam que ele legal, e ele parece um cara legal. Quer dizer ele é legal.... – caralho alguém me interrompa antes que eu fale legal de novo.



– Já entendemos Bella. – papai disse com uma risada e agradeci, mentalmente por me interromperem.



Tratei de enfiar um monte de comida na boca antes que falasse mais merda. Não voltamos ao assunto de Jasper, o que agradeci internamente por isso. Na verdade tentei me focar no passeio deles, e tirar a atenção de mim.



Embora minha mente estava fervilhando com o que meu pai tinha falado. Com quem será que Jasper estava falando? Ele parecia ser falso como eu suspeitava. Agora a questão era se eu devia dizer a Edward.



Quando terminamos de comer, eu ainda não tinha certeza do que fazer. Contar a Edward seria o certo, mas eu não queria causar um conflito entre a única família que ele tinha.

Mas eu poderia esconder isso dele?



Meus pais saíram pouco depois, e voltei para meu quarto. Escovei os dentes, enquanto tentava me decidir o que fazer. Ouvi uma batida na porta, e lavei a boca rapidamente indo até a porta, ao abri-la me surpreendi ao ver Esme me olhando toda sorridente.



– Bella, que bom que está aqui. Eu gostaria de convidá-la para se juntar a nós.



– Oh... eu... – gaguejei confusa, ela sorriu mais.



– Por favor, querida. Edward ficara triste se não estiver conosco, mesmo que ele não diga.



– Eu não quero atrapalhar seu momento em família. – ela rolou os olhos pegando minhas mãos.



– Querida não seja boba. Não será o mesmo sem você. Edward não estaria com a gente se não fosse por você. – acabei sorrindo com suas palavras.



– Você tem certeza?



– Sim, sim. Além disso, quero que conheça Carlisle e Jasper.



– Jasper, sabe sobre mim? – me fingi de tonta e a vi corar.



– Bem, sim. mas foi minha culpa, eu estava tão animada sobre Edward, que quando contava a Carlisle ele ouviu. Mas não se preocupe Bella, ele não contara a ninguém. – forcei um sorriso ao assentir.



– Certo.



– Então você vem?



– Eu... – comecei a negar, não havia uma chance no inferno que eu poderia ficar perto do primo de Edward e me comportar, mas antes que eu terminasse ouvimos passos e Edward surgiu atrás de Esme.



– Tia o que faz aqui... – ele parou de falar a me ver e sorriu abertamente. – Bella, achei que tinha saído com Charlie e Renée.



– Oi, não eu quis dar um momento sozinho pra eles. – ele sorriu e sorri de volta como uma boba apaixonada que é o que sou.



– Bem... – Esme começou chamando nossa atenção e corei. Merda isso ia começar de novo. – Edward, eu vim convencer Bella a passar o dia conosco.



Edward me olhou esperançosamente, e gemi. Se ele me pedisse eu nunca poderia dizer não.



– Você vem não é?



– Edward....



– Por favor? – ele me olhou com aqueles olhos lindos, e só pude assentir. Sorriso de Edward era tão grande que poderia rachar seu rosto. Mas só me fez suspirar.



– Maravilha. Venha Bella tem que conhecer meus outros meninos. – ela começou a me puxar e havia até esquecido que eu ainda segurava suas mãos.



Esme me arrastou para sala e podia ouvir Edward nos seguindo. Assim que entramos os dois homens sentados se levantaram para nos receber. Reconheci Jasper que sorriu a me ver, mas o ignorei e me foquei no Cullen mais velho.



Carlisle Cullen era muito bonito, alto com ombros largos, cabelo loiro pálido e olhos incrivelmente azuis, além de um rosto lindo. Ah se ele não fosse casado e eu não amasse meu Edward. Ri dos meus pensamentos , e o vi sorrir pra mim.



– Carlisle, Jasper, esta é Bella.



– Bella, é um prazer conhecê-la. – Carlisle se aproximou e pegou minhas mãos que Esme finalmente havia soltado, dando um aperto gentil.



– É um prazer também Sr. Cullen.



– Me chame de Carlisle. Uma mocinha bonita como você me chamando de senhor, me fará sentir um velho. – ri.



– Ok Carlisle.



– Qualquer um que ela chamar de senhor se sentira um velho perto dela. – Jasper falou se aproximando para me cumprimentar, arquei uma sobrancelha para ele que sorriu abertamente.



– Prazer Bella. – empinei o queixo.



– Oi. – ele arqueou uma sobrancelha, mas o ignorei e fui até Edward e o abracei pela cintura, ele estava muito bonito usando uma camisa de botão escuro e calça jeans.



Ele me deu um olhar estranho, olhando entre mim e Jasper, mas sorriu quando enterrei o rosto em seu peito e me abraçou de volta.



– Então, eu estava pensando em fazer lasanha Edward. – Esme falou interrompendo o silêncio que se instalou na sala, parece que Edward não foi o único que percebeu que eu não fui com a cara do seu primo.



– Ah você precisa experimentar a lasanha de Esme, Bella. – olhei pra ele sorrindo.



– Eu adoro lasanha.



– Ótimo, por que vocês não conversam um pouco enquanto eu vou começar a preparar as coisas. – ela saiu em direção a cozinha, e Edward me puxou para uma poltrona, se sentando e me colocando em seu colo.



Dei uma risadinha e o abracei pelo pescoço beijando sua cicatriz sexy. Ele arqueou uma sobrancelha e sorri mais dando outro beijinho e sussurrei para ele.



– Como estamos saidinhos hoje. – ele riu me apertando mais contra seu peito.



– É esse vestidinho que você usa, tenho que mostrar a todos que você pertence a mim, já que você tem uma quedinha por caras mais velhos. – minhas bochechas ficaram muito vermelhas e bati em seu peito.



– Edward! – guinchei e ele riu alto.



– É brincadeira amor, eu sei que você só tem olhos pra mim.



– Oh, bom. Eu tenho mesmo. Embora seu tio da um caldo em. – movi as sobrancelhas sugestivamente o fazendo gargalhar.



– Posso saber qual a piada? – Jasper perguntou interrompendo nosso momento, e com muita força de vontade contive a vontade de mandá-lo ir se foder.



– Bella estava me dizendo que o achou muito charmoso tio. – Carlisle arregalou os olhos antes de rir.



– Bem que Esme disse que ela é fogo puro em. – piscou pra mim.



– Com certeza ela é. – Edward concordou beijando meu pescoço me fazendo corar enquanto ria.



– Só estou dizendo a verdade. – dei de ombros os fazendo rir.



Logo os homens começaram um papo chato sobre a companhia de Edward. Jasper contava como iam os negócios, e Edward assentia dando opinião quando precisava. Cansada desse papo chato de advogados, que fiquei sabendo agora que Edward era formado nisso, dei um beijo em seus lábios, avisando que ia ajudar Esme.



Ele assentiu e me soltou para que saísse de seu colo, acenei para os outros e fui em direção a cozinha. Achei Esme já montando a lasanha, fui até a geladeira pegando a jarra de suco e me servindo de um copo, ela olhou pra mim sorrindo.



– Eles começaram a falar de negócios? – assenti e ela riu. – Sempre que eles se juntam falam disso, é um porre. – quase engasguei com o suco e ela riu.



– Sim um saco. Então você quer alguma ajuda?



– Claro querida. Assim você pode me falar um pouco de você.



– Não há muito que falar. Eu vivi a maior parte da minha vida na fazenda que meus avós tinham nessa pequena cidade chamada Forks. Meus pais sempre trabalharam em tempo integral para Edward, então era melhor pra mim viver por lá.



– Entendo. E por que voltou agora? – comecei a ajudá-la enquanto montávamos a lasanha.



– Bem, eu vou fazer 17, e logo começa as inscrições para faculdade, meus pais e avós acharam que eu teria oportunidades melhores se eu estudasse em uma escola daqui.



– Você tem alguma preferência?



– Acho que a faculdade aqui de Palo Alto mesmo, não quero ficar longe dos meus pais, ainda mais agora que voltamos a ser uma família. E muito menos de Edward.



– Edward ficaria arrasado se você o deixasse, ele ama você sabe. – arregalei os olhos.



– Ama? – ela riu.



– Bem é meio obvio, mas se ele não te disse, talvez espera o momento certo. – sorri como uma idiota e ela riu. – E você Bella?



– Eu o que?



– Ama Edward? – corei vermelho brilhante.



– Bem sim. como poderia não amar? – ela sorriu assentindo, mas seu sorriso sumiu.



– Outras não amaram, não como ele merece. – assenti sabendo muito bem de quem ela falava.



A vadia que o deixou sofrendo quando ele mais precisava de apoio.



– Bem, eu não o deixarei, não até ele me pedir para ir.



– Eu nunca pediria algo assim. – Edward falou entrando na cozinha e sorri ao vê-lo, felizmente ele não ouviu minha declaração. Eu espero que não, larguei o que estava fazendo e o abracei, ele me apertou contra ele esfregado seu nariz contra o meu.



– É bom não pedir mesmo, você sabe que eu sou persistente e daria um jeito de você mudar de ideia. – ele riu.



– E como eu sei Isabella. – puxei sua cabeça para baixo para beijá-lo melhor, o que ele veio de muito bom grado, gemendo quando nossos lábios se encontraram.



Grunhi contra sua boca enroscando minha língua na dele, o homem beijava bem demais, ouvimos um pigarro e nos soltamos ao ver Esme nos encarando sorridente.



– Crianças por favor, vão fazer isso em outro lugar. – rindo agarrei a mão de Edward.



– Nós já voltamos.



Nem esperei resposta dela e o levei ao meu quarto, assim que entramos fechei a porta a trancando e o empurrei contra a cama saltando em cima dele. Ele gemeu quando agarrou minha bunda me erguendo e nos virando para que eu estivesse contra a porta.



Sua boca tomou a minha com urgência, enquanto agarrava seus cabelos o puxando cada vez mais para mim. Edward grunhiu se esfregando em mim, e gemi ao sentir seu pau duro pressionado contra meu estomago. Afastei meus lábios dos dele ofegante.



– Me foda aqui.



– Merda Bella. – ele gemeu e ri.



– Vamos Edward, eu sempre quis ser fodida por você em meu quarto.



– Porra... – ele colocou a cabeça em meu pescoço dando beijos e lambidas.



– Por favor, me fode. – gemi passando as mãos em suas costas.



– Eu não tenho camisinha comigo, e não a nenhuma chance que eu possa ir ao meu quarto pegar uma e deixar Esme me ver excitado. – comecei a rir.



– Eu tenho camisinhas aqui.



– Graças a Deus. – ri mais e o soltei, ele me colocou no chão e corri até minha mesa de cabeceira e peguei um pacote, rapidamente me desfiz da minha calcinha o jogando pra ele que a pegou no ar e cheirou gemendo.



– Você gosta do meu cheiro é?



– Deus sim, principalmente da sua excitação. – rindo fui até ele e piscando me ajoelhei e abri sua calça e puxei seu pau pra fora. Edward gemeu batendo a cabeça contra a porta.



Rindo agarrei a base do seu pau e o levei a boca dando uma longa sugada, ele gemeu alto agarrando meu cabelo, para que eu o olhasse.



– Bella quero te foder agora.



– Na cama? – gemi ao ver seu olhar de luxuria e ele negou.



– Contra a porta, coloque a maldita camisinha. – rosnou, caralho isso era quente.



Me apressei em colocar a camisinha dando um beijinho na ponta do seu pau quando terminei. Edward rosnou me levantando e me empurrou contra a porta, meu peito pressionado contra a madeira.



Arfei quando ele agarrou meus quadris me fazendo empinar minha bunda. Pensei em protestar, mas se ele mandando em mim era excitante, ele agindo assim era mais ainda, meu gozo escorria por minhas pernas.



Edward empurrou meu vestido pra cima deixando minha bunda nua e passou sua mão grande, me empinei mais para ele gemendo baixinho.



– Inferno, adoro a sua bundinha empinada. – gemi empinando mais para ele, Edward acariciou minha bunda, descendo sua mão até minha entrada, vi estrelas quando ele meteu dois dedos em mim.



– Ohhh....



– Porra você está ensopada.



– Edward... me fode. – pedi novamente e seu corpo colou ao meu, seu pau roçando entre minhas coxas. A cabeça dele encostou em meu pescoço onde ele mordeu minha garganta.



– Quer meu pau?



– Sim.



– Então você vai ter amor. – sussurrou agarrando meu quadril enquanto enterrava seu pau em mim.



Fechei os olhos gemendo alto, porra nessa posição ele parecia ir muito mais fundo. Eu com certeza eu sairia daqui andando torto, mas imensamente feliz.



– Ah... você é tão apertada.. – ele gemeu contra meu pescoço, seu pau entrando e saindo lentamente, me fazendo ferver a cada impulso.



– Deus Edward... – engasguei quando ele rebolou contra mim.



– Você gosta assim?



– Deus sim.



– Ou quer mais forte? – gemi quando ele saiu e entrou com força.



– Porra... mais forte. – ele riu e agarrando meus quadris começou a me foder forte.



Suas investidas fortes e rápidas estavam me levando ao céu. Minha boceta estava em chamas assim como meu corpo. Já sentia seu pau pulsar dentro de mim, e logo ele viria, querendo vir com ele, levei a mão para minha boceta e comecei a esfregar meu clitóris. Gemi alto e Edward grunhiu.



– Merda, você está se tocando?



– Sim...



– Não pare. – mandou enquanto metia mais forte e mais rápido.



Meu corpo inteiro convulsionou, e minha boceta começou a dar choques quando vim, apertando o pau de Edward enquanto ele gozava junto comigo.



Seu corpo se pressionou mais contra o meu enquanto ele rodeava seus braços em volta de mim, encostei-me em seu peito suspirando baixinho. Ficamos em silêncio por alguns minutinhos até a nossa respiração voltar ao normal.



– Bella, tudo bem? – Edward foi o primeiro a falar e gemi.



– Super bem. – ele riu saindo de mim, e me virou para ele me prendendo entre a porta e seu corpo, melhor lugar do mundo em minha opinião.



– Fui muito rude? – rolei os olhos e passei meus braços em volta do seu pescoço e pulei nele, ele riu segurando minha bunda para me manter no lugar.



– Você foi fodidamente gostoso.



– Fui é?



– Porra sim. Quando quiser mandar em mim, e me foder contra moveis e portas saiba que estou super de acordo. – ele sorriu.



– Você é incrível. – beijou meus lábios lentamente, me fazendo gemer, agarrei seus cabelos e já me esfregava nele de novo.



Quem sabe não conseguíamos batizar minha cama, talvez meu banheiro, ou minha penteadeira?!



– Bella temos que voltar. – ainda com os lábios nos meus.



– Não. – resmunguei sem deixar de beijá-lo, e ele riu.



– Sim nós temos. Mas prometo te compensar depois. – afastei a boca da dele sorrindo.



– Mesmo? Com o que?



– O que quiser.



– Qualquer coisa?



– Qualquer coisa. – ele riu com certeza imaginando que eu falaria alguma besteira.



– Ok, amanhã, nós dois vamos tomar banho de piscina, sozinhos e nus.



– Hmmm, eu gosto de como você pensa. – ri e tirei minhas pernas dele e com sua ajuda voltei para o chão.



– Aposto que gosta. Venha vamos voltar.



– Não tá esquecendo de nada não? – olhei para ele e depois para mim e ri.



Edward ainda estava com o pau pra fora e eu sem calcinha.



Ele riu também e nos apressamos em nós vestir.



Me limpei e vesti outra calcinha, enquanto Edward fazia o mesmo se livrando da camisinha e ajeitando as calças. Quando saímos do quarto eu definitivamente estava andando um pouco torto, o que fez Edward rir muito, mas ele me abraçou por trás andando assim comigo, o que impossibilitou eu ficar brava com ele.



Por mim podíamos andar grudadinhos o tempo todo.



Ao chegarmos na cozinha não achamos Esme, então seguimos para sala onde a achamos acompanhado dos outros.



– Ah ai estão vocês. – Esme sorriu se levantando. – Almoço está pronto.



– Ótimo estou faminto Esme.



– Eu também estaria se estivesse no seu lugar primo. – Jasper sorriu maliciosamente para nós, e meu sorriso sumiu imediatamente, Edward ficou tenso atrás de mim.



– Jasper, não seja grosseiro. – Esme repreendeu e o vi bufar.



– Só estava brincando mãe. Edward nunca se importou quando eu brincava com Alice. – se antes Edward estava tenso, agora ele parecia congelado.



– Alice? – o nome saiu dos meus lábios antes que percebesse e Edward me soltou.



– Jasper. – Esme guinchou, e Carlisle parecia irritado, me virei para Edward e seu rosto estava pálido.



– Acho melhor vocês irem. – sussurrou antes de se virar e começar a sair.



– Edward, por favor... – Esme tentou tocá-lo, mas ele se afastou.



– AGORA! – ele rosnou saindo da sala sem olhar pra ninguém. Encarei os outros muito confusa e depois para onde Edward havia ido.



– Quem é Alice? – perguntei ainda olhando para onde Edward havia sumido, mas imaginava.



– É a vadia que acabou com a vida de Edward. – Esme rosnou, e a olhei um pouco chocada.



Alice. Esse era o nome dela.



Não esperava que um dia saberia seu nome, ainda mais hoje.




Continua...





4 comentários:

tete disse...

nossa que que maldade espero que edward nao se tranque para o mundo novamente amei beijos e uma otima noite para vce

LAV RIBEIRO disse...

acho que JASPER fez de propósito

Françoise Rodrigues disse...

aaa concerteza o Jasper fez de proposito !!!... kakak logo a Alice !! kakak
queria q a bela tivesse xingadu ele!!!

Françoise Rodrigues disse...

aaa concerteza o Jasper fez de proposito !!!... kakak logo a Alice !! kakak
queria q a bela tivesse xingadu ele!!!

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o post: