FANFIC - NÃO É MAIS UM ROMANCE LITERÁRIO - CAPÍTULO 26

Olá Amores!!! Hoje vamos curtir o 26º capítulo de "Não É Mais Um Romance Literário". Quer acompanhar a história desde o início? Clique aqui.


Isabella Swan têm a sua vida transformada após conhecer o enigmático romancista Edward Cullen. O que acontecerá com a estudante ao se envolver com alguém tão misterioso?


Autora : Jacqueline Sampaio
Classificação: +18
Gêneros: Romance
Avisos: Sexo



Capítulo 26


–O que será que Jake tem?

–Deve estar doente. Foi isso o que você deduziu não é Bella? –Perguntou meu pai enquanto dirigia. Estava completamente absorva do dialogo que ele mantinha com minha mãe. –Bella? –Meu pai insistiu. Apenas assenti. Não demorou a chegarmos ao condomínio onde Jacob morava. Ficamos um pouco no hall de entrada.
–Pai, mãe. Eu vou ver como o Jake está e caso não esteja bem ficarei aqui para cuidar dele. Não vejo necessidade de todos vocês ficarem aqui.

–Mas filha se ele não estiver bem teremos que chamar um médico! –Alertou minha mãe.

–Eu vou subir. Se ele estiver muito mal ligo para vocês e aviso. –Falei. Subi rapidamente e estranhei a dimensão da minha preocupação. Talvez seja por que Jacob sempre cuidou de mim e nunca o contrário, até agora.

Com o apartamento fechado, não ousei tocar a campainha. Jacob escondia uma copia da chave dentro de um vaso próximo a porta. Estava escuro e silencioso. Um frio perpassou minha espinha. Aquele silêncio sepulcral conseguiu me desestabilizar. Andei apressadamente até o seu quarto, a porta aberta. Viu Jacob deitado. Corri até ele.

–JAKE! –Sentei na cama e, desesperada, o sacudi. Pude notar o quando estava febril. Jacob abriu lentamente os olhos, uma expressão débil em seu rosto. Ele olhou fixamente para mim com seus olhos semicerrados.

–Bells... –Sussurrou dando-me um pequeno sorriso.

–Jake, o que aconteceu a você? –Minha voz mostrava claramente minha preocupação. Mantive minha mão em sua testa afagando levemente seus cabelos.

–Acho que... Acho que não cuidei devidamente de minha saúde. Estou resfriado.

–Tem certeza de que é só um resfriado?

–Sim. Não estou... Não estou muito bem desde ontem. Fui ao médico e ele disse que estou gripado.

–Meus pais me trouxeram aqui de carro. Eles estão muito preocupados. Estão no hall de entrada esperando por uma ligação minha. Se você não estiver bem iríamos levá-lo a um médico agora mesmo ou chamar alguém para vir aqui.

–Não há necessidade disso, Bella. Diga a eles para voltarem para casa, mas... Gostaria que você ficasse aqui se não for incomodá-la.

–Jake, seu bobo, é claro que não me incomoda! Eu ficaria aqui mesmo que você não quisesse! Ligarei para eles agora mesmo. –Sai do quarto e logo estava falando com meu pai. Expliquei toda a situação e com muito custo consegui convencê-los a ir para casa com a promessa de que ligaria caso Jacob piorasse. Voltei ao quarto.

–Acho melhor você tomar um banho para diminuir a febre, primo.

–Não se preocupe. Eu já tomei banho. Não vê que estou de pijama? –Só agora havia percebido este detalhe. Jacob tremia. Voltei a sentar ao seu lado.

–Eu vou primeiro preparar uma compressa para a sua testa. Depois prepararei algo para comer, uma sopa. –Ainda permaneci ali o fitando até conseguir sair do quarto, rumo à cozinha. Primeiramente preparei a compressa, o que demorou visto que eu não estava habituada a usar a cozinha de Jacob. E minha cabeça definitivamente não estava naquele local.

–Tudo estava tão bem com o jantar de Edward com meus pais... Agora Jacob está acamado. –Comentei comigo mesma enquanto a compressa já estava pronta. Voltei ao quarto, Jacob não mexeu um milímetro na cama. Deixei a bacia com água morna em cima da mesa de cabeceira, umedeci um pano e prontamente coloquei na testa de Jacob.

–Isso vai ajudar a baixar a febre. Vou preparar algo bem gostoso e nutritivo para você comer, ta? –Jacob segurou fracamente minha mão que repousava em seu peito.

–Fique um pouco mais. –Falou aos sussurros enquanto mantinha um pequeno sorriso nos lábios.

–Jacob, você não tem cuidado de sua saúde, não é?

–Tenho trabalhado muito como modelo e é... É difícil ainda conciliar com a faculdade.

–Então deixe o trabalho como modelo e se cuide melhor.

–Não posso Bella.

–Por que não?

–Ainda não exerço minha função como advogado. O dinheiro que uso para me manter é o do trabalho como modelo. Se eu deixar esse emprego terei que voltar a viver com meu pai e isso está fora de cogitação. –Apesar de sua aparente fraqueza não ter interrompido seu discurso, ainda sim sua voz fora como um murmúrio. Suspirei.

–Melhor poupar sua energia. Não precisa repetir o que disse, entendi muito bem. Mas saiba Jake que você não é nenhum super-herói. Se você se sentir cansado demais para manter essa vida dupla, largue seu emprego e vá morar conosco. Você sabe que será bem acolhido. Meus pais o amam como um filho e sabe o quanto te adoro. Ficaria muito feliz se fosse para a nossa casa. –Sorri. Jacob correspondeu ao sorriso, mas havia algo sério em seu olhar.

–Antes eu aceitaria esse convite com todo o prazer, mas agora...

–Por que não Jake? Não entendo.

–Doeria muito vê-la com aquele homem. Seria mil vezes pior do que ficar acamado nesta cama por culpa de meus exageros com trabalho. –Seus olhos prenderam-me. Não conseguia olhar para mais nada além de Jacob e a dor que parecia consumi-lo, a dor de não me ter como quis. Aquela situação conseguir me deixar ainda mais desnorteada. E sentia algo crescente em meu peito, algo que parecia ser duvida. Por que era aquele homem que confessava o quanto me amava sem medo enquanto Edward Cullen demonstrava apenas o claro desejo de me ter, nada mais. Sendo objeto ou pessoa na vida de Edward, bobamente ainda escolhia a ele. Sentia-me envergonhada por isso.

Como a covarde que sou, me desvencilhei do comentário de Jacob.

–Ah é mesmo você deve estar com fome! Vou preparar uma sopa que vai deixá-lo bom em instantes! –Sai rapidamente para a cozinha, meu refugio provisório. O que eu temia não era dizer a Jacob que seu sentimento por mim não era correspondido. Meu maior temor era que ele novamente me perguntasse sobre ficarmos juntos... E acabar me convencendo.

O livro que terminara de ler a alguns instantes não conseguiu cansá-lo ao ponto de adormecer de imediato. Deitado de qualquer jeito no sofá de sua pequena sala Edward Cullen em fim pega o celular. A fim de distração, discou o número.

Jacob mantinha os olhos fechados. “Valeria a pena passar mal sempre para ter Bella por perto.” - Pensou. Um celular toca, reconheceu como de Bella. A bolsa colocada próxima da cama, não resistiu. Olhou a chamada crispando os olhos. Jacob não pensou duas vezes antes de desligar o celular. Ouviu um barulho no corredor se intensificando. Rapidamente colocou o celular em seu devido lugar. Vislumbrou Bella passar pela porta sorridente enquanto carregava uma bandeja.

Kaname sorria fracamente para mim enquanto colocava a bandeja próxima a ele. Pensei em como o distrairia a fim de que ele não toque mais em nenhum assunto ligado a Edward ou aos seus sentimentos para comigo.

–Espero que goste da sopa.

–O cheiro está muito bom. –Ele disse pegando a colher. Pude ver que ele não tinha forças sequer para erguer a colher até a boca. Detive rapidamente suas mãos.

–Eu dou comida para você.

–Não precisa Bella.

–Jake, eu não me importo. Sério! Agora abra a boquinha. –Ergui a colher com sopa e Jacob comeu. Ofereci pacientemente a sopa a ele enquanto minha mente lembrava de tempos remotos. Tempos em que eu, diante de Jacob, parecia à donzela indefesa sempre a espera de um cavaleiro forte que pudesse acudi-la.

Flashback 

–Onde ela está? –Uma voz perguntou a enfermeira. Conhecia aquela voz. Apenas abri vagarosamente meus olhos quando ouvi alguém sussurrar meu nome.

–Bella? –Era Jacob. –O que houve?

–Jake? –Respondi debilmente vendo-o a centímetros de meu rosto. Sua face angelical crispada em sofrimento. Perguntei-me por que ele sofria tanto.

–Que bom que está acordada! –Suspirou de alivio. –O que aconteceu exatamente? Ligaram-me daqui e disseram que você havia passado mal durante a aula e desmaiou. Vim correndo assim que soube pela funcionaria da escola.

–Ligaram para você?

–Parece que não conseguiram falar com seus pais. Não me surpreendo. Soube que meus tios estão corrigindo provas na universidade e devem ficar incomunicáveis. Então ligaram para meu celular. –Ele disse movimentando-se agora pela pequena sala. Não demorou a encontrar meus pertences escolares em cima de uma cadeira pegando-o. - Vou levá-la para casa agora.

–Jake, eu vou ficar bem. A médica disse que é apenas um leve resfriado. Ela me passou uma medicação. Só preciso ficar deitada um pouco mais e... –Ao tentar andar cambaleei. Teria ido ao chão se Jacob não tivesse sido rápido em me pegar. Não protestei quando ele me ergueu e carregou-me no colo. Verdadeiramente eu estava cansada. E ao fechar meus olhos acabei por adormecer.

Fim do flashback

Imagens na minha cabeça atordoando-me. O Jacob gentil, carinhoso e presente, sempre presente. Por que meu coração palpita rapidamente quando estou com ele, mas quando estou com Edward meu coração parece parar?

–Bella? –Acordei de meu devaneio apenas para notar que estendia a colher para os lábios de Jacob, mas a sopa já deveria ter acabado. Corei imediatamente afastando a bandeja.

–Consegui um remédio para aplacar um pouco o mal estar. Já havia tomado alguma medicação?

–Não. Apenas me consultei com um médico. Achei que tomando um bom banho e dormindo seria o suficiente para melhorar. Equivoquei-me. - Ele deu um meio sorriso e minha mente instantaneamente lembrou-me de Edward. Tomou o remédio que havia dado a ele, mantendo seus olhos nos meus.

–Me prometa que vai cuidar de sua saúde, ok? –Falei demonstrando o quanto estava preocupada.

–Prometo. –Ele sorriu. Antes que pudesse me distanciar o suficiente Jacob capturou-me para seus braços. Um abraço. Um abraço que fez meu coração tripudiar. Aquele abraço cheio de bondade, quente.

–Jake? O que foi? 

–Seu abraço... Tão quente! –Suas mãos acariciando minhas costas. Estava desnorteada. Eu não consegui pensar em mais nada. Já não estava certa do que deveria dizer a ele. O sensato seria me afastar e dizer meus sentimentos para com Edward, mas não conseguia. Existia algo mágico que apenas Jacob me proporcionava quando estava comigo, algo que parecia ser inexistente em Edward: o amor em seu toque. Correspondi ao abraço e senti os olhos úmidos. Tantas coisas ruins passaram pela minha cabeça. Desvencilhei-me gentilmente de seus braços lutando para não chorar.

–Você tem que descansar agora Jake. –O deitei puxando o cobertor para ele.

–Fica aqui comigo?

–Claro. –Deitei ao seu lado. Jacob pegou seu cobertor nos envolvendo. E daquele jeito acabamos dormindo juntos, abraçados.

ela manhã eu o vi. Seu rosto belo e bem mais corado. Jacob dormia tranquilamente, parecia melhor. Sorri. Era bom saber que meus esforços o ajudaram. Peguei minha bolsa notando com estranheza o celular desligado. Certamente a bateria descarregou. Levantei e fui para a cozinha. Prepararia o café da manhã de Jacob antes de voltar para casa.

–Sua febre desapareceu.

–Verdade. Tudo graças a você, Bella. Obrigado por ter vindo aqui.

–Jake, não precisa agradecer. Fico feliz por ter contado comigo. Você que sempre cuidou de mim. Eu tinha que fazer algo para quitar a dívida. –O olhei terna. Jacob continuou a degustar do café ofertado com seus olhos castanhos fixos em mim.

–Então... Você está bem para ficar sozinho?

–Perfeitamente.

–Tem certeza primo? Não está mentindo para se livrar de mim?

–Se fosse para mentir eu mentiria para você permanecer. –Mais uma vez me senti prisioneira do lisonjeio dele. Tinha de ser rápida antes de cair naquela doce armadilha.

–Preciso ir. Se você voltar a se sentir mal não hesite em me ligar.

–Tudo bem. –Fui ao quarto pegando minha bolsa e, depois de mais alguns minutos fazendo companhia para ele, sai.

As palavras de Jacob e o seu toque contrastando horrivelmente com as palavras e o toque de Edward. Dois caminhos para seguir e ambos eram incertos. “Acalme-se!” - Pensei. Eu tinha que afastar as incertezas. Talvez um dia de descanso pudesse ajudar. Mas quando cheguei em casa soube que não teria a paz almejada, pois diante de minha porta, encostado em seu carro conversível com um cigarro na boca, estava Edward.




Continua...




12 comentários:

tete disse...

nossa estava com saudades mas valeu por esperar amei esta cada dia melhor foi lindo so capitulos beijos e uma otima niote

LAV RIBEIRO disse...

problemas de novo pra postar a fic ?

Sakurahot disse...

Cadê o restante. ...pls!
Ansiosa para a então... enfim a viagem

Aline Santiago disse...

quando ira postar o próximo?

Caah Ribeiro disse...

Quando irá postar o próximo episódio? Ou não vai postar mais? Estou amando a fic

Arlete Franca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arlete Franca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arlete Franca disse...

Cade o resto por favor ?

Arlete Franca disse...

Cade o resto por favor ?

solange barbosa carneiro disse...

Está emocionante a ficou,porem cade o restante? Na espera.

Renata Santos disse...

Continua... Please.

Renata Santos disse...

Continua... Please.

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o post: