FANFIC - NA ESCURIDÃO - CAPÍTULO 23

Olá Amores!!! Hoje vamos curtir o 23º capítulo de "Na Escuridão". Quer acompanhar a história desde o início? Clique aqui.


Foi uma noite intensa. Precisa de um alívio... precisava fugir da dor. Aqueles olhos em mim.. seu corpo junto ao meu. Tudo isso dissipou minha dor, me deu um calmante natural. Mas não queria me envolver, não queria mais ninguém. Até ver a merda daquele exame me dizendo que a noite não tinha acabado. Eu não sabia nem o nome dele. Que merda!


Autora : Isabella Cullen
Classificação: +18
Gêneros: Romance
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez.




Capítulo 23 Nas profundezas da escuridão



Eu nunca me imaginei naquela situação. Eu estava sozinho. Apesar de ter todos ao meu redor, me apoiando e me incentivando eu estava sozinho. Havia um vazio incrível dentro de mim e que só era preenchido em partes quando Anthony estava em meus braços, ele era a réplica de Bella. Ele era sua versão em miniatura e acho que se ela estivesse aqui ficaria boba com isso. Uma dor no meu peito começava quando eu pensava que ela nunca olhou nosso Anthony, nunca viu o fruto da nossa loucura de uma noite.
Ele agora tinha dois lindos meses e a casa dos meus pais era preenchida pelo entra e sai de todos querendo paparicar ele. Minha família estava em peso na casa dos meus pais e se Anthony pensasse em chorar tinha uma multidão que estava disposta a ir a China comprar uma chupeta ou qualquer outra coisa que ele precisasse.

Eram dias tranquilos apesar da tristeza que era não ter Bella, eu me Afastei completamente do hospital, não conseguia entra ali depois de tê-la ali trabalhado tão perto de mim. Eu sentia falta de seus ataques, sentia falta da sua boca suja e dos seus problemas. No final Bella nunca foi tão Bella e acho que isso a surpreendeu e a assustou.

– Edward, Anthony não está bem, acho melhor levarmos ele para o hospital.

Essa frase mudou minha vida quando ele completou três meses. Anthony chorava e não conseguíamos identificar o motivo de seu choro e tinha dias em que eu achava que ele dormia de tão cansado de chorar. Nesses dias ele dormia horas seguidas e não se alimentava direito. Quando não estava chorando ele estava mamando com lágrimas nos olhos ou dormindo exausto das horas de choro. Meu decidiu levá-lo para o hospital depois de dias nesse ritmo.

– O que ele tem? – Não era médico, eu era um pai desesperado que estava exausto depois de dias e dias sem dormir direito porque o filho pequeno não dormia direito.

– Edward aparentemente Anthony não tem nada, fizemos exames mil e não encontramos nada. Mas olha, eu preciso encaminhar ele para Boston, uma amigo meu viu os exames e disse que ele pode ter uma síndrome que ele é especialista.

Meu mundo acabou, meu filho era a coisa mais importante do mundo e eu estava perdendo ele para um síndrome. Uma porra de uma síndrome.

– Que Síndrome?

– Alsenbeguer. É raro, mas é possível.

– Isso é impossível, seria genético.

– A mãe dele pode ser portadora Edward. Transmitiu.

Bella... outra vez ela.

– Não sei de ninguém da família que a tenha... ela nunca comentou. Deveria ser algo que saberíamos não?

– A mãe dela teve algum menino? Mulheres são só transmissoras.

– Não...

E lembrei. A mãe de Bella era filha única. Não havia homens na família a gerações.

– É possível sim. O seu amigo...

– Dr. Martin está esperando por vocês lá. É só ajeitar a transferência.

E fui conversar com meu pai e ele também achou isso algo provável. Meu menino deveria ser submetido a exames e mais exames quando chegassem em Boston, o Dr. Martin era conhecido eu verifiquei suas pesquisas e seus diplomas. Liguei para cada faculdade em que ele tinha estudado e ajeitei um jato UTI para irmos para Boston. Minha mãe e Alice ficaram devastadas com a notícia, a doença não tinha uma cura. Só um tratamento longo e sem muitos resultados. Ele perderia funções neurológicas e depois os órgãos não resistissem ao intenso tratamento. Por recomendação do próprio médico mantivemos ele sedado e eu arrumei minhas coisas para ir para Boston, com meu filho e minha mãe.

–Vai dar tudo certo Edward... eu sei que vai. – Disse Alice na hora de se despedir, era uma voz fraca e seus olhos tinham um ar cansado e muito triste. Queria tanto acreditar nisso, mas acho que ninguém acreditava. Anthony se estivesse acordado ele estaria chorando muito e não seria o menino doce de alguns meses atrás

A viagem foi curta e fomos direto para o hospital mesmo cansados. Dr. Martin queria logo esclarecer suas dúvidas e fiquei sentado jogado na recepção. Minha mãe estava em um dos quartos dormindo, mas eu queria estar acordado quando ele voltasse, quando o médico voltasse. Ele só tinha a mim e eu precisava estar lá. Para ele, por ele.

– Edward o que faz aqui?- de cabeça baixa eu ainda não acreditava estar ouvindo aquela voz.

– John? O que está fazendo aqui?

Ele estava de bermuda e blusa sujas. Era sangue? Estremeci com as possibilidades.

– Eu soube de tinha um Cullen aqui... pensei que fosse Alice.... nunca pensei em você.

Ele tinha um ar cansado e desgastados.

– Estou aqui por ela Edward. Ela está aqui.

Nessa hora eu me levantei. O que Bella.... eu olhei ao redor, tentei pensar o que ela estaria fazendo aqui.

– Onde ela esta... ela é paciente ou veio ver Anthony?

–Ela está internada, overdose.

O QUE ELA ANDOU APRONTANDO? QUE PORRA ELA FEZ AGORA?

– Edward Bella fugiu por vocês.... – ele estava nervoso, tenso. Não parecia o segurança confiante que conheci.

– ME EXPLICA ESSA MERDA. MINHA MULHER ESTÁ NA MERDA DE UM HOSPITAL PORQUE SE DROGOU!

– Vem para fora, você não pode ficar gritando aqui.

E acompanhei ele até um pequeno café que tinha perto do hospital.

– Agora que sentamos começa. – disse querendo bater, gritar ou ir correndo para o hospital e eu mesmo gritar com Bella.

– Ela recebeu ameaças, não sabíamos exatamente da onde elas estavam vindo ou algo assim. Achávamos que era Aro, ele tinha muitos interesses na morte dela. Só tudo aconteceu rápido, vocês se conheceram, ela engravidou e bom... ela sabia que uma hora ela teria que enfrentar tudo. Edward o tio dela fez um acordo com os árabes que nunca poderiam cumprir, ele fez eles acharem que era Bella que estava travando as negociações e por isso as tentativas de matá-la. Era um plano perfeito, eles a matavam e tudo ficaria para ele e alegando tramites legais ele enrolaria mais um tempo até conseguir tudo que eles queriam.

– Quando descobriram isso?

– Quando ela foi na casa dele ela desconfiava, mas ela confirmou tudo quando Irina começou a ser ameaçada e eles entraram em contato com ela através dela.

– Na lua de mel... ela passava com Irina...

– Eram eles. E ela precisou pensar rápido Edward, descobrimos muitas coisas que poderia acontecer com o bebê. Já tinham sequestradores contratados para fazer ele sumir na maternidade. O tio dela envolveu a todos nisso!

– Por que ela não me contou?

– Porque ela precisava ir lá e mostrar para eles que ela não era empecilho para nada. Ela não confiava em Aro e era ela que eles queriam Edward, a presença dela ia mudar tudo. Quando chegamos onde estava marcado o encontro Bella provou que as promessas do tio nunca poderiam ser cumpridas porque a maioria das armas eram apenas protótipos, não estavam nem em fases de teste. Isso fez com que eles matassem Aro e Jéssica na hora, não perdoaram e foi ali que eu pensei que iríamos morrer também... ela estava tranquila Edward. Antes de irmos ela disse que sabia que eu cuidaria de vocês....- ele abaixou a cabeça e deixou o cansaço tomar contar dele. Imaginei pelas olheiras que ele deveria estar acordado a horas. Respirou fundo e continuou. – Ela estava na porra de um deserto e sozinha... eu não fui... quando ela voltou ela estava fraca e tinha uma hemorragia estranha. Ficou semanas internada num hospital em Londres e eu pensei que em vez de trazê-la num jato viva ia escoltar um caixão. Edward ela quase morreu. Ela recebeu duas bolsas de sangue e vários remédios para conseguir acordar.

Meu coração gelou naquela hora, Bella tinha ido embora logo depois do parto. Não teve resguardo nem nada.

– Foi então que depois de semanas nós voltamos e ela conseguiu reaver as ligações do antigo celular. Ela queria ligar e dizer... explicar... ver o filho... Edward ela ouviu algo na caixa de mensagem de voz e depois saiu. Eu a encontrei hoje depois de dois dias procurando ela feito louco. Só sei que ela tomou bebida com remédios controlados. Ela tentou se matar Edward.

Não tinha o que falar, não tinha o que pensar. Eu estava nervoso quando liguei, foi assim quês soube. Eu não deveria ter feito aquilo, foi estúpido... eu não esperei explicação.... não esperei mais nada.

– Como ela está...

– Em coma.

E eu sabia meus dois amores estavam escorrendo das minhas mãos. Eu sabia que não podia fazer nada. Deixei as lágrimas escorrerem porque a dor era imensa, a dor de Anthony com a de Bella. Minha Bella e sua escuridão. E agora ela estava mergulhada na escuridão.





Continua..


2 comentários:

Jannáyra Menezes disse...

Meu Deus quanto sofrimento!

Bells disse...

Vdd...Sofrimento q parece nunca ter fim ...aff!
Mas o Amor fala mais alto Sempre
^_^

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o post: