FANFIC - NÃO É MAIS UM ROMANCE LITERÁRIO - CAPÍTULO 4

Olá Amores!!! Hoje vamos curtir o 4° capítulo de "Não É Mais Um Romance Literário". Quer acompanhar a história desde o início? Clique aqui.


Isabella Swan têm a sua vida transformada após conhecer o enigmático romancista Edward Cullen. O que acontecerá com a estudante ao se envolver com alguém tão misterioso?


Autora : Jacqueline Sampaio
Classificação: +18
Gêneros: Romance
Avisos: Sexo




Capítulo 4


–MINHA FILHA! ESTÁ BEM?

–Eu estou mãe! –Disse pela décima vez a minha mãe, minha resposta não suprimiu sua aflição. Meu pai apenas olhava-me com aqueles grandes olhos mostrando sua preocupação.

–Os senhores são os responsáveis por esta senhorita? –Disse o médico, adentrando o quarto onde ainda estava. Meu pai assentiu. –Fizemos todos os exames, sua filha está bem. De qualquer forma recomendo pelo menos dois dias de repouso. Antes de levá-la, peço a um dos senhores para me acompanhar. –Meu pai acompanhou o médico, minha mãe agora sentada ao meu lado na cama analisando-me.
–Você está realmente bem, minha querida?

–Estou mãe!

–E então... Como foi conhecê-lo?

–Conhecer quem? –Perguntei.

–Edward Cullen! Foi ele quem a ajudou, não foi? Pelo menos foi esse o nome que o rapaz me disse.

–Ele chama-se Edward Cullen, mas... Por que a pergunta tão empolgada? –Olhei para minha mãe, esta me olhava com descrença.

–Não o reconheceu? Edward Cullen um escritor de prestígio. Um dos melhores da atualidade! Eu tenho pelo menos uns três romances escritos por ele. –Quando ouvi aquelas palavras confesso ter ficado atônita por alguns instantes. Então o rapaz que estive procurando e que coincidentemente atropelou-me era famoso?

–Então você não irá para a aula segunda? –Perguntou-me Angela ao telefone.

–Terei que ficar dois dias descansando.

–Nossa Bella tudo o que aconteceu com você parece surreal! Quem diria que seria vítima de Edward Cullen!

–Você também o conhece, Angela?

–Minha mãe tem todos os seus sete romances! Eu estou terminando de ler o sexto. –Ela relatou empolgada. O tal Edward tão famoso e eu nem imaginava.

–Minha mãe disse ter três de seus romances. Até os deixou na cabeceira da minha cama. Antes eu até duvidava que o rapaz que me atropelou pudesse ser um escritor famoso, isso até ver uma pequena foto do mesmo na contracapa.

–Então ele simplesmente se despediu? Não pediu seu telefone ou algo assim?

–Claro que não pediu nada! Por que ele faria isso, Angela?

–Sei lá. Talvez se interessasse por você. –Aquelas palavras de Angela me causaram certo abatimento, mas não saberia explicar o porquê disso.

–Por que diabos um escritor famoso e belo iria se interessar por uma colegial como eu, Angela?

–É... Tem razão! Sabe, antes mesmo de saber com detalhes de seu encontro com Edward Cullen, ia pedir um favor a você.

–O que seria?

–Haverá uma sessão de autógrafos de um dos escritores mais amados pela minha mãe no shopping. Poderíamos ir juntas lá. Prometi a minha mãe que ele autografaria o primeiro livro que ela ganhou escrito por ele. Vem comigo Bella?

–Tudo bem. Depois da aula venha aqui e irei com você.

–Então até mais! –Angela desliga.

Minha mente naquele homem, o modo como se movimentava, o modo como fumava... Nada escapou de meus olhos. E quando dei por mim, Edward Cullen não saiu de minha cabeça. Como sairia? Agora mesmo, em plena tarde de domingo, estava lendo um dos romances escritos pelo mesmo. Através do livro soube de poucas, mas significativas coisas dele. Um escritor talentoso de apenas vinte e três anos. Começou a escrever com vinte e um e já havia escrito sete romances, oito no fim do mês. Olhei ininterruptamente sua pequena fotografia em um canto do livro. Os mesmos olhos enigmáticos e lábios que pareciam convidar-me a um mundo de sonhos. E eu nunca me senti tão envolvida.

Ao anoitecer acessei a internet e verifiquei minha caixa de e-mails. Fiquei feliz ao ver um e-mail de meu primo de segundo grau, Jacob. E seu conteúdo dizia:

“Minha linda,

Daqui a poucos dias retornarei para Los Angeles. Comprei alguns presentes de Milão para você. Estou sentindo muito sua falta. Quando chegar farei o possível para passarmos mais tempo. Mando-lhe anexo ao e-mail uma foto de minha nova campanha publicitária.

Um beijo do seu Jacob.”.

E anexo ao e-mail mais uma bela imagem de meu primo. Sempre tão belo, tão seguro! A imprimi deixando-a próxima de minha cama. Jacob é meu primo de segundo grau, filho do primo de meu pai, Billy. Por nunca ter se entendido devidamente com meu “tio” Billy, ele praticamente fora criado pelos meus pais. Eu tenho verdadeira adoração por ele, um sentimento que certa vez associei a amor, mas tão logo tirei isso de minha cabeça. Amar alguém como ele denotaria sofrimento afinal Jacob é um jovem belo, segue a carreira de modelo juntamente com seu estudo de Advocacia. Ele certamente está destinado a ter alguém acima de mim ao seu lado.

Segunda-feira.

–Então estou indo minha filha. –Disse minha mãe já próxima da porta.

–Ah! Mãe, irei ao shopping com a Angela mais tarde.

–Filha, acha que está em condições de sair?

–Estou bem. Não se preocupe.

–Então está bem. –Mamãe acenou saindo em seguida. Tomada pelo tédio resolvi estudar um pouco, sobretudo as matérias que não estava bem. E quando tocar em um livro de literatura ou inglês havia se tornado um incomodo, passei para o livro de título “Lagrimas de sal” escrito por Edward, por sinal um romance muito bom! Às seis horas Angela chega, já estava pronta. Fomos de ônibus para o shopping, a livraria onde estava tendo a sessão de autógrafos estava lotada!

–Nossa tem tantas pessoas! Tomara que consiga pegar o autógrafo dele.

–Angela... Quem é esse escritor que sua mãe é fã? –Meu olhar perdido para aquele local.

–Por que você mesma não o vê? Certamente o reconhecerá. –Ela apontou para a direção onde o escritor estava sentado autografando os livros ofertados para ele. Espere... Eu conheço aqueles cabelos... É O EDWARD!

–MEU DEUS!

–O que foi Bella?

–É o Edward!

–Eu sei. –Ela sorria.

–Por que quis que eu viesse, sabendo que eu o conheço?

–Ora Bella, para que assim possamos furar essa fila enorme! Agora vá lá e peça dois autógrafos. –Angela empurrou-me pela livraria, nem conseguia raciocinar. Ele estava lá e sentia-me nervosa, talvez fosse por ter descoberto que ele é famoso. Ainda tentei recuar, mas Angela continuou a me empurrar até que eu ficasse no campo de visão do Edward. Ele me viu, deu um meio sorriso e, com o dedo indicador, chamou-me. Não teria dado um passo sequer se a própria Angela não tivesse me empurrado até a mesa onde estava sentado, as demais pessoas na fila resmungavam coisas que não pude ouvir na certa por termos furado a fila.

–Ora que coincidência! Bella, a suicida que conheci no parque certa vez aqui diante de mim. –Falava com ar de deboche, ignorei as palavras proferidas, estava embasbacada.

–Senhor Cullen eu sou sua fã assim como minha mãe! Poderia autografar este livro? –Disse Angela a ele. Simpático até demais, pegou o livro autografando-o, uma dedicatória as duas. Angela vibrou enquanto permaneci estática com cara de paisagem.

–Enquanto a você, Bella? Algo para que eu autografe? –Peguei lentamente o livro que estava lendo, livro este guardado em minha bolsa. Ele pegou, pensou durante alguns minutos e escreveu algo. Quando entregou o livro ficamos nos olhando. Havia algo em seus olhos que me hipnotizava. Acordei de meu devaneio ao ouvir a próxima pessoa a pegar seu autógrafo reclamando.

–Até mais senhorita Bella. –Ele disse voltando sua atenção para a próxima fã. Angela puxou-me pela mão.

–Nossa ele é lindo! Olha o que ele escreveu para mim? –Mostrou-me o escrito:

“Para Angela e sua mãe. Um abraço de Edward.”.

–O que ele escreveu no seu? –Peguei o livro abrindo-o, apenas eu li o escrito, Angela ainda via a sua mensagem. Assustei-me. O escrito no livro de minha mãe dizia o seguinte:

“Vá para o terraço daqui a vinte minutos.”.




Continua...




1 comentários:

Jannáyra Menezes disse...

Jesusssssssss amado... quero logo o cappp

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o post: