FANFIC - NA ESCRURIDÃO - CAPÍTULO 7

Olá Amores!!! Hoje vamos curtir o 7° capítulo de "Na Escuridão". Quer acompanhar a história desde o início? Clique aqui.


Foi uma noite intensa. Precisa de um alívio... precisava fugir da dor. Aqueles olhos em mim.. seu corpo junto ao meu. Tudo isso dissipou minha dor, me deu um calmante natural. Mas não queria me envolver, não queria mais ninguém. Até ver a merda daquele exame me dizendo que a noite não tinha acabado. Eu não sabia nem o nome dele. Que merda!


Autora : Isabella Cullen
Classificação: +18
Gêneros: Romance
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez.




Capítulo 7 Esclarecendo as coisas


Bella andou até a cozinha e verificou cada detalhe do almoço.

– Essa é a travessa do doce? – ela perguntou olhando uma panela.

– Sim.
– Pegue as menores, vamos fazer individuais sim?

–Sim, senhora.

E ela depositou um doce em cada taça de vidro salpicando algo em cima e colocando morangos que ela cortou. Eu assisti aquilo tudo admirado, era uma outra pessoa. A campainha tocou e ela parou e me olhou. Eu levantei triunfante e fui abrir a porta.

– Filho! – minha mãe me abraçou

– E aí maninho? – Alice veio atrás – Onde está Bella?

E ela foi arrastando Esme com ela. Cumprimentei meu pai e Emmett com Rose.

– Bella! Você está linda!

– Obrigada Alice. – ela abraçou Bella. – Essa é minha mãe.

– Oi querida como você está? – Bella ficou vermelha.

– Bem.

– Esse é meu marido Carlisle. Ele é médico também.

– Boa tarde Bella. – e ela estendeu a mão. Bella o cumprimentou timidamente.

– Sejam bem- vindo. Sintam-se a vontade.

E todos começaram a olhar o apartamento enquanto Emmett suava Bella por seu apartamento nada parecido com o que ele achava que seria. O bar foi ignorado por todos porque sabiam que Bella estava grávida e eu tive a leve impressão que Alice tinha algo a ver com isso. Valéria serviu sucos para todos e a conversa flui agradável, Bella não interagia muito ficava deslocada as vezes e quando o assunto ficou muito no âmbito familiar ela resolveu servir o almoço. Ela ficou inquieta, nervosa algumas vezes, mesmo quando a conversa estava descontraída e todos ríamos com as palhaçadas de Emmett.

– Bella estava tudo magnífico.

– Obrigada Esme.

– Vamos marcar um almoço sim?

– Me ligue.

– Olhe, na ultra nos chame. Quero ver meu neto sim?

Bella ficou tensa de repente.

– Vou falar com Edward.

– Te espero amanhã Bella. No hospital.

– Ah.. sim Carlisle . – ela sorriu sem graça.

E todos saíram e eu olhei e ela não estava mais na sala. Estava perto do bar olhando as bebidas.

– Bella nem pense nisso.

– Lendo mentes Edward? Fique na sua!

Fui até o lado e sentei no banco.

– Qual você mais gosta? – ela perguntou olhando as garrafas.

– Não sou muito de beber.

– Isso é péssimo. - Ela respirou fundo. – Tanta bebida desperdiçada.

E seu ar ficou triste, tudo isso por causa de bebida? Ela era maluca? Só que ela não estava mais olhando as bebidas, seu olhar estava vazio. Imersa em alguma coisa na sua mente. Ela abaixou a cabeça e se apoiou na bancada do bar e mais uma vez respirou fundo.

–Queria beber todo esse bar. – ela falou com a cabeça baixa e seus cabelos jogados no seu rosto.

– Isso não iria mudar nada Isabella.

O que não iria mudar, o que a fazia ter um ar tão profundamente triste.

– Não gostou dos meus pais?

– Eles são legais. – ela falou ainda com a cabeça baixa.

– Obrigado por tratá-los bem.

Ela levantou a cabeça.

– Achou que eu iria fazer você passar vergonha? – ela levantou uma sobrancelha.

– Bom, não achei que seria tão bom.

E ela sorriu um sorriso triste.

– Sua família é muito boa Sr. Cullen. Perfeita.

E ela se levantou e saiu para o seu quarto. E ouvi ela falar alguma coisa e uma musica encher o quarto dela. Bella estava triste. Reconheci a voz da cantora, Alanis. Cheguei mais perto e ouvi um pedaço da musica e fui para o meu quarto, digitei algumas partes que gravei e vi. Madness – Alanis. O que ela queria com aquilo? Liguei para Alice, ela conhecia Bella a muito mais tempo que eu.

– Oi maninho.

– Bella está triste.

Alice ficou muda.

– Alice o que aconteceu? Ela está estranha.

– Edward Bella é complicada. Ela está sem beber e fumar.

– Isso é por que ela não está bebendo?

– Não, foi nossa família. Ela não teve nada disso, ela deve estar mal. Muito mesmo. E quando se sentia isso ela ia beber e fumar, festas e esses tipos de coisas.

– Devo ficar de olho então?

– O que ela está fazendo?

– Ouvindo Alanis, Madness.

Alice para de respirar na outra linha.

– O que foi Alice? O QUE EU FAÇO?

–Edward, com ela é só seguir a música. Preciso ir.

E ela desligou. Fiquei ouvindo a música até cansar, tentando absorver, tentando entender Bella. Por que eu estava gostando de uma pessoa tão complicada? Bella seria tão escura quanto a noite quando queria, mas quando não estava envolta com suas lembranças ou medos poderia ser agradável como a luz do sol num dia agradável de verão. Eu queria ir no quarto e arrancar a dor que vi nos seus olhos, ela estava desarmada, frágil,carente. Por que ela não se abria para mim?

Eram dez horas da noite quando a ela resolver sair e ficou andando pelo apartamento como quem procura algo para fazer, eu estava na sala de jantar percebendo sua agitação. Ela estava inquieta, batia os dedos na pia da cozinha, andava procurando algo. Ali sentado olhando ela ainda com o vestido andar pela casa fiquei exitado, ela era muito sexy. Bella prendeu os cabelos num rabo de cavalo alto deixando sua nuca livre para um beijo e eu queria me levantar e dar aquela nuca tudo que ela pedia. Fingi estar no meu computador e depois que ela passou pelo menos umas três vezes na minha frente me perguntei se ela não estava tentando chamar minha atenção. Ela sentou no banco do bar e ficou olhando as bebidas novamente, batendo os pés freneticamente. A campainha tocou ela levou um susto. O que era aquilo aquela hora?

– Quem é? – Perguntei olhando para ela.

– Alguém que conheço, eles não deixam subir estranhos. – Quando completou a frase ela pareceu lembrar de algo e olhou para mim e depois para a porta. Que merda era aquela.

– Não vai abrir?- Perguntei irritado.

– Pode me dar privacidade?

– Não.

– Esse apartamento é meu.

– E eu estou morando aqui.

– Preciso de um pouco da merda da minha privacidade.

– Tudo bem. – ela relaxou e eu dei um sorriso torto. Fui para o sofá e fiquei olhando para ela e para a porta.

– Privacidade. – ela repetiu.

– Já dei toda.

Ela bufou e foi para a porta abrir.

– Sozinha aqui Bella? Vamos para o quarto vamos. ..- e o rapaz foi beijando Bella e se esfregando nela e senti ela nervosa, de olhos abertos e tentando conter a boca que a devorava. Levantei do sofá.

– Jacob... hum... – ela se afastou e ele percebeu minha presença.

– Você não me disse que estava acompanhada hoje. Achei que sua noite, ou primeira noite seria comigo.

– Olha... você sumiu...

– Itália com Lilian, ela me deixou louco...

QUE MERDA ERA AQUELA?

– Jacob esse é Edward e ele está morando aqui comigo... olha...

– Bella ele está morando aqui tipo como? Companheiro? Dividem o apartamento?

– Não, eu...

– Ela está grávida, eu sou o pai e você quem é?

– A foda.

– o que? – ele não respondeu isso. O que ele disse?

– Jacob conversarmos outro dia sim? Você entendeu a situação não é?

– Claro que sim Isabella... VOCÊ ESTÁ COMIGO A DOIS ANOS E NUNCA ME DEU SEM CAMISINHA. APARECE ESSE MERDA E O QUE VOCÊ FAZ? FODE ELE SEM PROTEÇÃO!

– Olha como fala com ela! – eu disse já me aproximando dele.

– Sai Jacob! Você entendeu tudo errado.

– Entendi errado como? Até bêbada você lembrava da porra da camisinha e agora me aparece grávida?

Eu gostei de saber daquilo, informação útil.

– Sai Jacob.

E vi Josh aparecer com mais dois homens.

– Algum problema Sra. Swam? – ele perguntou olhando para Jacob.

– Não, Jacob já estava de saída não? – ela falou olhando nos olhos dele.

– Isso não acabou, vamos conversar ouviu?

– Acabou não ouviu? – eu falei.

– NÃO SE METE NISSO!

E Josh o segurou o levando para a porta do elevador. Bella fechou a porta e se encostou nela.

– Quem era?

– Você ouviu, minha foda.

– Como assim?

– Ele e eu nós... transávamos. Um matava a fome do outro.

– Por isso foi na boate? Estava sem foda?

– Para de me ofender!

– Não Isabella eu estava tentando entender.

– E fui porque eu quis! Pronto!

– Vocês não tem mais nada? É só sexo? Não pareceu.

– NÃO PRECISA PARECER NADA! EU E ELE SOMOS ASSIM! SEXO E DESPEDIDA.

– Você tem uns relacionamentos muito estranhos.

– Eu... olha...

– Por que estava inquieta?

Ela arregalou os olhos.

– Está sem foda a quanto tempo? – Perguntei e vi seu rosto ainda surpreso. – Quanto tempo? A gatinha ficou muda, ela estava querendo ser fodida. Avancei nela e peguei seus lábios com vontade e ela gemeu somente com nosso primeiro beijo, intenso e cheio de desejo. Ficamos quase sem ar enquanto nos beijávamos, ela ofegava quando a soltei.

– Quer ser fudida? Que seja por mim.

A levei para o quarto e não ouvi nenhuma resistência, ela estava querendo... queimando... seus olhos diziam isso com muita nitidez. A coloquei sentada na cama e fui tirando minha camisa, meu pau já estava dolorido.

– Sexo on fire – ela disse e a música começou.

Aquilo me deixou mais duro. Ela queria ser fudida. Tirei a minhas calças e ela o vestido rapidamente, seu corpo lindo me chamando, só de sutiã, sem calcinha e molhada. O líquido já deixando ela exposta. Avancei sobre ela na cama e a beijei mais intensamente deixando meu membro se esfregar nela e soltando gemidos dela. Ela arranhou minhas costa e eu gemi alto, não ia me conter, essa noite eu iria fundo nela.Tirei a cueca e me deliciei nos seus seios com ela puxando meus cabelos e gemendo mais alto.

– Edward... vai...

– Não!

– Mete!

– Não.

E fui abaixando meus lábios até colocar minha boca naquele sexo molhado e chamativo e fazer ela gemer mais alto e alto. Ela iria gozar, mas eu queria todo o seu prazer dentro de mim e parei.

– Ed... estou queimando!

– Então chupa.

E coloquei sua boca no meu pau. Ela chupou com intensidade e eu pude sentir tudo que ela estava sentindo, ela chupou e massageou minhas bolas com muita velocidade. Mas hoje eu não iria gozar na boca dela.

– Sua boca é muito gostosa.. – disse afastando ela de mim – Mas quero te comer.

E coloquei ela deitada e meti arrancando dela mais gritos de prazer.

– Quer mais? – eu parei antes de meter novo.

– Vai... me come!-

Dei mais algumas estocadas.

– Assim?

– Forte! Mais forte.

E fui com fúria no seu membro fazendo ela delirar de prazer, gemíamos e nos contorcíamos em busca do êxtase e ela chegou apertando meu membro com uma força que fui junto derramando tudo dentro dela. E ela deitou ofegante e musica ainda rolava enchendo o quarto de sensualidade.

– Eu sou sua foda Isabella. – disse no ouvido dela enquanto ela ainda se recuperava e sai do quarto. Sabia que para ganhar ela devia deixar ela querendo mais, um dia passaria a noite ali. Hoje ela sentiria minha falta.





Continua...



3 comentários:

LAV RIBEIRO disse...

mandou bem Edward....

Jannáyra Menezes disse...

Ihuuu arrazouuu ed \o/

Bells disse...

Uu...Cara de atitude isso mesmo,mandou bem Ed. Rsrs

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o post: