FANFIC - NA ESCRURIDÃO - CAPÍTULO 3

Olá Amores!!! Hoje vamos curtir o 3° capítulo de "Na Escuridão". Quer acompanhar a história desde o início? Clique aqui.


Foi uma noite intensa. Precisa de um alívio... precisava fugir da dor. Aqueles olhos em mim.. seu corpo junto ao meu. Tudo isso dissipou minha dor, me deu um calmante natural. Mas não queria me envolver, não queria mais ninguém. Até ver a merda daquele exame me dizendo que a noite não tinha acabado. Eu não sabia nem o nome dele. Que merda!


Autora : Isabella Cullen
Classificação: +18
Gêneros: Romance
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez.



Capítulo 3 - É meu ou não?



Ele me olhou assustada, eu queria fugir... o quanto ele ouviu? Merda.

– Bella esse é meu irmão Edward, ele está se formando em Medicina hoje.

Fiquei pálida e ele me olhou cerrando os olhos. Alice ficou confusa, Jasper pegou na mão dela e a puxou para seu lado, acho que tirando ela da linha de fogo.

– Alice vou lá, isso para mim já deu. O diploma... olha...

Sai com meu cigarro nas mãos me sentindo tonta e enjoada, era ele. Quase corri até meu carro estacionado numa das primeiras fileiras e assim que meti a mão tremula para abrir senti meu copo sendo virado.

– Onde pensa que vai?

– Não te interessa.

– É meu? – ele estava sério. Precisa mentir, mas não tinha forças. Precisava pelo menos manter a postura.

– Não. – isso soou um pouco convincente.

– Não acredito em você.

– VOCÊ NÃO ME CONHECE!

– Seus olhos... está mentindo. – ele tinha uma certeza assustadora.

– Edward não é? Acabou de se formar, está com sua família e amigos... me deixa sim. Vou curtir minha formatura.

– Larga a merda desse cigarro. – ele disse e eu joguei no chão, ele estava muito tenso, poderia apanhar a qualquer momento. – Vamos, eu dirijo e você me diz onde mora.

– NÃO MESMO!

– FAÇA ISSO BELLA!

E quando viu que não iria fazer tomou as chaves da minha mão e abriu o carro. Caramba, ferrada ao triplo se ele não quisesse concordar com o aborto, precisava mentir descaradamente. Ele dirigiu pelo campus, olhando para frente, agarrando o volante com força.

– É meu?

– Não. – ele olhou para mim.

– Mentira.

– Não te conheço, você não me conhece. Como sabe que estou mentindo? Vai assumir o filho de outro?

– Não pretendo.

Nessa hora ele tomou um rumo totalmente diferente. Estávamos indo para onde?

– Quero ir para casa.

– Vamos primeiro resolver isso. Se nao for meu tudo bem, vá pára o inferno que não me importo.

Aquilo doeu, não deveria, mas doeu. Fechei meus olhos e quando os abri estava na merda do hospital de novo.

– Vamos, hoje isso acaba.

– O que...

– Vamos.

– Não vou! – Olhei dentro daqueles olhos verdes lindos.

– Vai dificultar? Se for eu vou crer que o filho é meu e você não vai fazer o aborto, se não for meu acabamos logo com isso e você faz o que quiser fazer com o seu corpo. – algo me dizia que ele estava mentindo. Do momento em que entrei nesse carro, algo me dizia que ele não conseguiria mais ficar longe de mim nem eu dele.

Respirei fundo e fui para dentro do hospital, ele conhecia todo mundo. Foi entrando com intimidade por aqueles corredores e meu nervosismo foi aumentando. O tal do médico que me atendeu para meu azar estava numa das salas e Edward o cumprimentou.

– Bom dia Dr. Mark.

– Bom dia Edward, o que faz aqui? Hoje é sua formatura!

– Eu sei, vim trazer uma menina... preciso usar a sala de exames pode ser?

Ele me olhou e me reconheceu.

– Isabella esteve aqui, a ficha dela está nos arquivos. Peça para alguém buscar.

Ele me olhou surpreso, mas fechou a cara assim que saímos. Meu azar estava tomando proporções épicas já. Ele me levou para uma sala e saiu, batia os pés freneticamente, era dele. Não transei com mais ninguém, bebi muito, mas não fiz mais besteira. Ele voltou com cara feira com minha ficha nas mãos, não podia surgir nada daquilo.

– Bebeu, se drogou... vomitou horrores na recepção e ainda fuma. Mais alguma coisa Isabella?

– Não. – aquilo me deixou envergonhada, mesmo não sendo da conta dele.

– Três semanas, EXATAS TRÊS SEMANAS!

–Para de gritar comigo porque você não é nada meu!

– Sou o pai desse inocente que está sendo gerado por uma mãe inconsequente.

– Eu não sabia que estava grávida.

– Mas continuou fumando e bebendo, Alice me contou da tal amiga que parece preocupação nenhuma com o fígado.

Merda, Alice linguaruda. Continuei de cabeça baixa.

– Você não pode ter certeza por esses exames que é seu.

– Transou com mais alguém se proteção?

Não ia responder aquilo!

– Não vai falar?

Ele pegou o celular e colocou no viva-voz. Alice atendeu.

– Ela transou com mais alguém sem proteção? Você sabe me dizer?

– Acho que não... Edward papai e mamãe perguntaram por você.

– Ela andou se drogando nas últimas três semanas? Ela andou estranha?

– Ela é estranha Edward e acho que só foi aquela vez.

– Ela transou ou não?

– NÃO SEI DIZER, ACHO QUE NÃO. ELA FICOU SUPER ASSUSTADA QUANDO SOUBE DA GRAVIDEZ SÓ TINHA UMA PESSOA EM MENTE, ELA NÃO TINHA MAIS NINGUÉM EM MENTE.

Ele desligou na cara de Alice e me encarou. Respirou fundo e sentou-se. Passou as mãos nos cabelos bagunçando mais.

– Vamos precisar resolver isso Isabella.

– Eu não quero ter essa criança.

– Já percebi! Mas eu quero.

– Temos um empasse porque o corpo...

– PARA DE FALAR MERDA! QUANDO CONCEBEU O SEU CORPO PASSOU A SER DA CRIANÇA.

O movimento feminista ia discordar disso, mas resolvi não comentar. Ele já estava nervoso demais.

– Você precisa parar de fumar.

– Opa! Não é assim!

– Nesse estágio pode ser muito prejudicial, má formação.. aborto espontâneo...

Aquilo revirou meu útero. Não queria ter, mas queria que ele fosse saudável. Que contraditório não? Eu devia estar ficando maluca. O celular dele tocou e ele colocou no viva-voz de novo.

– Oi.

– É SEU NÃO É? – Alice estava nervosa.

– Sim.

– Que bom.. – ela parecia aliviada – Edward ela quer..

– Eu já sei.

– Olha Bella é maluca, mas não acho que ela faria isso.

– Ela ia e você sabe.

– Posso... sei lá... estão todos aqui...

– Conta, não vou esconder nada. Depois nos falamos. Alice onde vocês moram?

– No lado Oeste, dormitório trinta.

– Obrigada.

Ele desligou e olhou para mim.

– Vamos.

– Não vou a lugar nenhum com você.

– Vamos, acabou. Terá que se mudar e eu tenho um apartamento...

Meu coração acelerou, fiquei nervosa, minhas mãos suavam.

– NÃO VOU MORAR COM VOCÊ!

– Ah... mais você vai! VAI E VAI TER ESSA CRIANÇA. SE QUISER SUMIR DEPOIS O FAÇA! MAS MEU FILHO VAI NASCER OUVIU ISABELLA?

Fiquei tremendo com aquelas palavras, ele realmente queria a criança. No que eu havia me metido?




Continua....



4 comentários:

Jannáyra Menezes disse...

Jesus essa bella é perigosa...ainda bem que o edward vai assumir.

Bells disse...

Aff! Q inveja...kkk
Amei esse Edward !

solange barbosa carneiro disse...

Gente que homem e esse? Tudo de bom....

Blogger disse...

VaporFi is the best electronic cigarettes provider.

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o post: