FANFIC - QUANDO MENOS SE ESPERA - CAPÍTULO 25

Olá Amores!!! Hoje vamos curtir o 25° capítulo de "Quando Menos Se Espera". Quer acompanhar a história desde o início?Clique aqui.


A fresta de luz que atravessou a escuridão não iluminava muito e não conseguia ver muito dele, e ele se escondeu mais nas sombras para evitar que eu o visse.


- O que faz aqui menina? ele rosnou e me encolhi, eu não devia ter subido.


- Eu sinto...


- Saia imediatamente. grunhiu, desesperada praticamente corri para fora da sala, mas em minha pressa tropecei em um tapete e antes que caísse no chão, braços fortes me rodearam e o calor do corpo alto e forte me envolveu completamente, arfei abrindo os olhos que nem notara que havia fechado e olhei para o meu salvador, não pude deixar de ofegar ao ver seus olhos de um ver profundo penetrantes me encarando.


- O obrigada... muito lentamente ele me ergueu me colocando em pé, mas suas mãos grandes ainda estavam sobre mim, exceto por seus olhos penetrantes, eu pouco via dele, ele se moveu para mais perto de mim. Ofeguei quando a luz que vinha da fresta da janela pegou do lado de seu rosto, uma fina cicatriz cruzava seu rosto, começando sobre a sobrancelha e indo por toda sua bochecha.


- Você não devia estar aqui.


Edward estava conformado com sua nova vida, uma vida de solidão, sem família, sem amigos, sem amor. Uma vida de clausura que ele impôs a si mesmo, se escondendo do mundo, se escondendo de si mesmo. Mas quando ele menos esperou ela surgiu em sua vida, trazendo tudo que ele achou que nunca mais teria. Pois é quando menos se espera que as coisas boas vem, basta esperar para ver.


Autora : Paula Halle
Classificação: +18
Gêneros: Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo




25. Eu não esperava querer matar o meu pai.





– Faz algumas semanas, e não recebemos noticias. – eles se entreolharam novamente.


– Nós temos falado com o Sr. Masen o tempo todo. – como é que é?


– Como é que é? – repeti meus pensamento irados.



– Bem, temos falado com o Sr. Masen, sempre o mantendo a par das investigações.


– Entendo.



Aquele sem vergonha, não me contou nada, a ele está em sérios problemas.



– Está tudo bem senhorita?



– Claro, claro. – murmurei secamente e comecei a ir em direção ao meu quarto. – Eu preciso ir me trocar se me der licença. – eles assentiram e sai rapidamente dali.



Assim que entrei no meu quarto joguei a mochila no chão e comecei a andar de um lado para o outro, tentando entender o porquê dele mentir para mim.



Por que ele faria algo assim? Será que descobriram algo? Mas se fosse esse o caso, os policiais não estariam aqui fazendo perguntas e ainda investigando.



Então por que ele me escondeu isso?



Alguém bateu na porta e parei de andar murmurando um entre, mamãe colocou a cabeça para dentro.



– Tudo bem Bella?



– Hmmm, sim, o que foi mãe?



– Os detetives queriam falar com você antes de ir.



– Oh, algo errado?



– Não só fazer algumas perguntas.



– Ok, vou só me trocar.



– Sem problemas. – ela saiu e me apressei em tirar as roupas e vestir algo mais leve.



Assim que estava pronta sai do quarto indo para a cozinha, o que será que eles queriam me perguntar? O que será que eu devia dizer? Eu precisava de um advogado?



Entrei na cozinha e parei quando vi Edward cochichando com os policiais, estreitei os olhos pra ele, esquecendo completamente o que os policiais iam falar, Edward se virou pra mim sorrindo, mas o sorriso morreu ao ver minha expressão.



Ah sim amigo, hoje vai ter, e não é sexo não é porradaria mesmo.



– Hmmm, Bella...



– Então os senhores queria falar comigo? – forcei um sorriso para os policiais ignorando completamente Edward.



Ambos se entreolharam antes de assentir. Fiz sinal para que todos nos sentássemos a mesa, Edward sentou ao meu lado e os policiais de frente para nós, ignorei Edward me focando nos detetives.



– Bem o que é então?



– Na verdade queríamos saber como foi seu encontro com Sr. Jasper Cullen, e a Srta. Alice Brandon?



– Bem desagradável na verdade. Jasper me chamou de vadia e disse que Edward só me usava, e a vadia... quer dizer Alice foi ofensiva e deu a entender que Edward ainda gostava dela.



– Então ambos se recente tanto de você quanto do Sr. Masen. – o mais jovem murmurou e o mais velho concordou.



– Eu acho, mas não o suficiente para matar. – Edward se apressou em dizer, e o mais jovem Demetri acho negou.



– Sr. Masen, não imagina o quão pouco é necessário para matar.



– Mas ele é meu primo, parte da minha família.



– Eu entendo seu receio Sr. Masen, mas seu primo tem motivos para desejar sua morte. – olhei para Edward sorrindo presunçosamente e ele evitou meus olhos.



– Eu me recuso a acreditar nisso.



O mais velho suspirou se levantando e seu parceiro o acompanhou.



– Nós entendemos Sr. Masen, mas ainda iremos investigar o Sr. Cullen e a Srta. Brandon, no momento eles são os únicos suspeitos.



Edward assentiu se levantando também, eles apertaram as mãos e acenaram um adeus para mim, acenei de volta, Edward os acompanhou a porta e fui pro meu quarto, me jogando na cama. Era bom ele ter uma ótima explicação pra ter me escondido a conversa com os policiais. Ah ele vai estar em um grande problema se ele não tiver uma boa explicação.



Alguém bateu na porta e mandei entrar ainda deitada, a porta abriu e fechou e ergui a cabeça vendo Edward próximo a porta me olhando.



– Está tudo bem?



– Me diga você? – ele franziu o cenho esfregando a testa.



– Eu não entendo Bella... – irritada me levantei.



– Bem deixe-me explicar pra você, os detetives me disseram hoje que vocês tem mantido contato todo esse tempo.



– Oh... – ele mordeu o lábio evitando meus olhos.



– É, posso saber por que o senhor mentiu pra mim? – coloquei as mãos nos quadris. Ele suspirou andando para mais próximo de mim.



– Eu sinto Bella, não foi por mal, eu só... merda, eu não achei necessário, afinal eles não encontraram nada interessante sobre o caso.



– Tem certeza?



– Claro, o que você acha? – dei de ombros.



– Eu não sei, mas me magoou saber que não confia em mim.



– Claro que confio Bella. – ele tentou se aproximar, mas coloquei a mão em seu peito o parando.



– Não, não confiou, quero saber por que não me contou? – ele grunhiu passando as mãos pelo cabelo puxando um pouco os cabelos.



– Eu só não quero ficar falando sobre isso o tempo todo Bella. Já é ruim saber que meu primo que eu considerei um irmão por toda a minha vida pode estar planejando a minha morte como um vilão de um filme de quinta, eu não quero ficar voltando nesse assunto. Eu sei o que você pensa, não quero ter que discutir toda vez por que não concordamos.



Assenti entendendo seu ponto, eu sei muito bem que não iria ficar quieta se ele defendesse o nojento do primo dele, e talvez ele estava certo em não querer ficar voltando nesse assunto, mas ainda não gostei dele ter mentido para mim.



Senti sua mão indo para minha cintura e me afastei.



– Na ni na não. Eu entendo seu ponto, mas você ainda mentiu pra mim, o senhor está oficialmente de castigo. – a boca de Edward caiu aberta.



– Como?



– Isso mesmo Sr. Masen, castigo.



– Isabella, por favor...



– Nada disso, castigo. Agora se me da licença eu tenho lição de casa. – Edward abriu e fechou a boca algumas vezes e suspirou tristemente assentindo.



– Eu realmente sinto muito que te magoei Bella.



– Ok. – ele abriu a boca, mas fechou novamente saindo no quarto, assim que ele se foi ri me jogando na cama.



Isso iria ensinar a ele a não me esconder mais nada. Olhei para o teto, esperando passar o tempo, eu não tinha lição de casa realmente, eu podia ler um livro, ou ver TV, mas não estava com vontade de nada disso, eu já sentia saudade de Edward. Esse castigo não estava dando certo, eu quero meu Edward.



Grunhindo me levantei indo para a cozinha, com todas essas coisas eu acabei nem almoçando, ao chegar lá encontrei mamãe cortando algum legume e fui preparar meu prato, quando me sentei a peguei me olhando.



– O que?



– Está tudo bem?



– Sim, por que? – ela deu de ombros.



– Edward passou por aqui tão triste, parecia que alguém chutou seu cachorro. – meu coração se apertou, eu devia ir vê-lo... não, nada de ser boazinha Bella.



– A culpa é dele.



– Como? – bufei brincando com a comida no meu prato.



– Ele está de castigo. – ela riu.



– Bella, Edward tem 38 anos, a idade de castigo passou há muito tempo.



– Não me importo, ele devia ter pensado nisso antes de mentir para mim. – resmunguei e ela se sentou ficando de frente para mim.



– Sobre o que ele mentiu?



– Sobre os policiais.



– O que têm eles?



– Bem no fim de semana, que vocês foram pra cidade e ficamos sozinho em casa eles vieram fazer uma visita e disseram que os dois acidentes foram propositais.



– Sim, eles disseram hoje. Mas sobre o que Edward mentiu?



– Ele tem conversado todo esse tempo e ele nunca falou comigo.



– Oh entendo. Mas ele fez por mal?



– Ele disse que só não queria ficar falando sobre isso. Tipo eu sei que foi o primo dele, mas Edward se recusa a acreditar nisso. E ele não quer que discutimos por causa disso.



– Ele está certo você sabe.



– Eu sei mãe. Mas como posso me entregar a alguém que não confia em mim?



– Eu não acho que seja isso Bella. Mas lembre-se é uma situação complicada, ele cresceu com Jasper, ele sempre foi o melhor amigo de Edward, um irmão. E agora tudo está desmoronando, eu sei que pra ele, você é um sopro de ar fresco, com você ele esquece das coisas ruins.



– Eu... – ela pegou minha mão dando um aperto gentil.



– Ele ama você querida, e é errado esconder as coisas, mas as vezes ele só quer esquecer.



– Esquecer?



– Sim.



– Hmmm, acho que posso entender isso. – ela sorriu.



– Sei que pode você é uma menina esperta. – rolei os olhos, ela se levantou e voltei a brincar com a comida.



Droga, como ia ficar irritada com Edward agora?



Empurrei o prato pra longe e me levantei, vi minha mãe sorrindo quando sai da cozinha, com certeza imaginando aonde eu ia.



Cheguei ao segundo andar a biblioteca estava aberta, e nem sinal de Edward, fui até seu quarto e nada dele também. Inferno onde ele estava? Passei pelo corredor olhando nas portas, mas a maioria dos quartos ou estava fechado ou vazio, ao chegar a porta que levava a piscina com certeza ele estava lá.



Desci a escada rapidamente chegando ao porão o encontrei nadando de um lado para o outro muito concentrado, porra como eu ia colocar ele de castigo quando ele está quase pelado na minha frente? Eu não sou tão forte assim, inferno.



Retirei minhas roupas ficando nua, e mergulhei fazendo barulho, ele parou de nadar e me encarou com os olhos arregalados.



– Bella... – sorrindo nadei até ele, ele engoliu em seco olhando para meus seios nus, e em seguida para meu rosto. – Isso faz parte do castigo? Pode olhar, mas não tocar.



Rindo nadei me aproximando mais e o abracei pelo pescoço, ele suspirou passando as mãos por minha cintura.



– Estou perdoado?



– Ainda pensando nisso. – ele fez uma careta, sorri me inclinando para ele e beijei seu pescoço lambendo a água da sua pele.



– Bella... – ele gemeu, suas mãos deslizando para minha bunda, suspirei me esfregando nele e senti seu pau crescendo e me queimando, mesmo através da sua sunga.



– Ficar de mal de você é muito chato. – resmunguei e ele riu roucamente me erguendo e envolvi minhas pernas em volta do seu quadril.



Ele nadou comigo até a escada da piscina me sentando nos degraus, com os pés me livrei de sua sunga e agarrei seu pau o puxando para mim.



– Bella... – grunhiu agarrando meus seios e esfregando meus mamilos com os polegares.



– Mas eu ainda vou pensar em um castigo pra você... oh... – gemi quando a ponta do seu pau roçou minha boceta que o sugou o fazendo deslizar para dentro de mim só a pontinha.



– Merda... eu sinto tanto Bella... – o abracei pelos ombros puxando seu corpo mais perto do meu com minhas pernas e seu pau afundou um pouco mais.



– AAAh...



– Fica cada vez melhor...



– O que?



– Estar dentro de você. –sussurrou terminando de deslizar todo o seu pau para dentro, assenti em acordo, ele dentro de mim sempre é maravilhoso.



Sua boca tomou a minha em um beijo ardente, gemi em sua boca sentindo o sabor da sua língua, suas mãos eram afoitas em meu corpo, tocando tudo que podia alcançar, meus quadris e seios, meu pescoço e cabelos.



Afastamos as bocas respirando com dificuldade, beijos de Edward passaram para meu pescoço, chupando e lambendo minha pele. Apertei seus ombros com força me deliciando com suas investidas cada vez mais fortes e profundas.



– Oh meu...



– Bella...



– Tão bom.



– Sim. – ele grunhiu descendo seus beijos aos meus seios, arquei meu corpo quando ele tomou um mamilo entre os lábios.



– Edward... – ele mordiscou o bico o sugando em seguida, seu pau pulsava dentro de mim, e já podia sentir meu sexo se contraindo a sua volta, dando choques que faziam meu corpo todo tremer.



Levei a mão entre nós esfregando meu clitóris, Edward lambia meus seios e com certeza sentindo minha boceta se contrair, pulsando a sua volta aumentou a velocidade das suas investidas.



– Porra Bella...



– Sim... sim... – gritei sentindo os espasmos de prazer percorrer meu corpo ao vir agarrada a Edward, ele gemeu e tomou meus lábios gemendo em minha boca quando veio em seguida.



Nos beijamos ardentemente enquanto nossos corpos se acalmavam do nosso momento de prazer. Quando nos afastamos ofegantes pelos beijos ele sorriu abertamente, e mesmo querendo brigar com ele o abracei.



– Por que não posso ficar brava com você? – resmunguei e ele riu nadando comigo.



– Por que você me ama?



– Certo eu amo. – resmunguei e ele riu.



– Você parece chateada por me amar.



– Eu não estou, eu só... eu não gostei de saber que você mentiu para mim.



– Eu sinto tanto Bella, eu só... só...



– Queria esquecer. – sussurrei lembrando minha mãe. Ele ergueu o rosto me encarando.



– Sim, quando estou com você todos os problemas, as coisas ruins, a dor, tudo fica para trás, só importa nós dois, nada mais. É como estar em uma bolha de felicidade e o mundo fica em segundo plano.



– Eu me sinto assim também Edward. Quando estou com você só existe você pra mim. Mas somos um agora, sua dor é a minha, assim como seus problemas, eu quero ouvi-los e ajudar você com eles. – ele tocou meu rosto esfregando o polegar delicadamente em minha bochecha.



– Você é a pessoa mais importante da minha vida. Prometo não esconder mais nada de você.



– E você é da minha. – me inclinei beijando seus lábios e ele gemeu baixinho me abraçando, seu pau que ainda estava dentro de mim começou a ganhar vida e gemi em sua boca e me afastei dele.



Edward sorriu torto.



– Pronta para outra.



– Sempre.



Depois eu pensaria em um castigo, agora eu queria aproveitar meu gostoso namorado.



Algumas semanas depois.



Bocejei alto me enterrando mais no peito de Edward, era sábado e ninguém me tirava dessa cama hoje, lógico pensei isso até sentir algo fofo batendo em minhas costas.



– Mas que merda... – abri os olhos e gritei quando vi Jane em pé ao lado da cama. – Jane?



– Surpresa. – ergueu os braços gritando animada.



Queria levantar da cama e dar um abraço, mas ainda estou pelada, e abraçar minha amiga pelada não é legal, falar em pelado, olhei para o lada e Edward começou a acordar, seus olhos piscaram e em seguida se focaram em mim, ele sorriu e depois se voltou para Jane e sua boca caiu aberta.



– Porra Jane. – grunhiu puxando o lençol e cobrindo seu peito, parece que ele ainda tinha um problema com as cicatrizes.



– Aff não há nada ai que eu já não vi antes.



– Jane! – guinchei e ela riu.



– O que, eu já vi Edward de sunga. Sua pervertida já pensou merda né. – rolei os olhos.



– O que faz aqui sua doida? – ela me empurrou pro lado se sentando na beirada da cama.



– Menina, eu terminei com o policial gostosão e pra não me deprimir olhando os lugares onde fodemos no meu apartamento eu resolvi vir mais cedo pra te ajudar com a festa. – minha boca devia estar no chão, pois ela riu.



Balancei a cabeça tentando clarear a mente, mas estava difícil com Jane falando loucuras e ainda pelada com um Edward um pouco nervoso ao meu lado.



– Estou feliz que está aqui Jane, mas da licença um pouquinho para nos vestirmos. – lhe dei um olhar sério e ela assentiu.



– Ok, ok. Mas nada de sexo matinal vocês dois, não quero esperar pra sempre. – resmungou saindo do quarto. Assim que ela estava fora olhei para Edward que respirou fundo, toquei seu rosto o fazendo olhar pra mim.



– Edward?



– Estou bem.



– Tem certeza?



– Sim, estou. – falou firmemente acho que mais pra se convencer do que a mim, me inclinei para ele beijando seus lábios rapidamente.



– Eu vou descer com Jane, quando se sentir confortável dessa também. – ele me encarou e deu um pequeno sorriso.



– Obrigada. – sorri e dando mais um beijo estalado nele fiquei de pé e procurei minhas roupas, estava curvada pegando minha calcinha e Edward gemeu, olhei para trás e ele estava com a mão em seu pau olhando minha bunda.



Sorrindo rebolei um pouquinho o que me garantiu um rosnado. Deixei minhas roupas onde estavam e voltei para a cama colocando minha mão no seu pau e junto com ele o acariciando.



– Bella...



– Acho que posso ficar uns minutinhos. – sussurrei me inclinando e lambi a ponta que já babava de tesão.



– Merda... por favor, fique.



Rindo afastei sua mão e chupei todo seu pau, Edward grunhiu arqueando o corpo, empurrando assim seu pau mais em minha boca, sem deixar de massageá-lo, tentei engolir o máximo que dava, o que não era muito.



Bombeei seu pau, e desci meus lábios para suas bolas e as chupei, Edward gemeu e seu pau pulsou em minha mão, alguém estava perto. Mamei suas bolas mais um pouco, mais voltei para cima dando beijos, ao chegar a cabeça lambi a fenda pegando o pré gozo e chupando.



– AAAhhh... – Edward arfou e sorri olhando pra ele quando voltei a tomá-lo na boca, ele começou a mover os quadris como se estivesse fodendo minha boceta, deixei a boca bem aberta e o deixei foder minha boca.



– Bella eu vou vir... – ele grunhiu entre dentes e agarrei seu pau o chupando forte, ele rosnou quando seu pau pulsou e veio em minha boca.



Bebi seu gozo até não sobrar nada e limpei seu pau, quando acabei lambi meus lábios olhando para ele, Edward gemeu jogando a cabeça para trás e sorri rastejando para cima dele e deitei em cima do seu corpo.



– Bom dia gostoso. – ele riu e me olhou.



– Isso é que é um bom dia. Bom dia amor. – beijei sua bochecha e comecei a me levantar, mas ele me agarrou nos virando na cama, ficando sobre mim.



– Edward... – ofeguei rindo.



– Minha vez, quero lamber sua boceta.



– Porra... – gemi já esfregando as pernas. Ele riu descendo as mãos e acariciando entre minhas coxas.



– Quero chupar você todinha. – sussurrou mordiscando minha orelha e gemi.



– Sim, por favor, sim...



– Isabella, você dormiu ai? – ouvimos um grito e a voz do meu pai e gememos.



Porra hoje é sábado, esqueci completamente que meus pais estavam em casa. Olhei para Edward que parecia nervoso e frustrado, eu sentia o mesmo. Porra eu ia ser chupada inteirinha.



– Isabella Marie Swan, venha já aqui.



Eu não esperava querer matar o meu pai.




Continua..





4 comentários:

LAV RIBEIRO disse...

rsrsrsrs isso é constrangedor...

tete disse...

muito legal amei bela e demais amo esses dois beijos e uma linda noite para voce

tete disse...

muito legal amei bela e demais amo esses dois beijos e uma linda noite para voce

Tatiane Rocha Gurdiano Aloquio disse...

Ah! Bella você ia..
.....Não irá mais!!!!!!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Mó cortasão de clima!!!!!!

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o post: