FANFIC - QUANDO MENOS SE ESPERA - CAPÍTULO 14

Olá Amores!!! Hoje vamos curtir o 14° capítulo de "Quando Menos Se Espera". Quer acompanhar a história desde o início?Clique aqui.


A fresta de luz que atravessou a escuridão não iluminava muito e não conseguia ver muito dele, e ele se escondeu mais nas sombras para evitar que eu o visse.


- O que faz aqui menina? ele rosnou e me encolhi, eu não devia ter subido.


- Eu sinto...



- Saia imediatamente. grunhiu, desesperada praticamente corri para fora da sala, mas em minha pressa tropecei em um tapete e antes que caísse no chão, braços fortes me rodearam e o calor do corpo alto e forte me envolveu completamente, arfei abrindo os olhos que nem notara que havia fechado e olhei para o meu salvador, não pude deixar de ofegar ao ver seus olhos de um ver profundo penetrantes me encarando.


- O obrigada... muito lentamente ele me ergueu me colocando em pé, mas suas mãos grandes ainda estavam sobre mim, exceto por seus olhos penetrantes, eu pouco via dele, ele se moveu para mais perto de mim. Ofeguei quando a luz que vinha da fresta da janela pegou do lado de seu rosto, uma fina cicatriz cruzava seu rosto, começando sobre a sobrancelha e indo por toda sua bochecha.


- Você não devia estar aqui.


Edward estava conformado com sua nova vida, uma vida de solidão, sem família, sem amigos, sem amor. Uma vida de clausura que ele impôs a si mesmo, se escondendo do mundo, se escondendo de si mesmo. Mas quando ele menos esperou ela surgiu em sua vida, trazendo tudo que ele achou que nunca mais teria. Pois é quando menos se espera que as coisas boas vem, basta esperar para ver.


Autora : Paula Halle
Classificação: +18
Gêneros: Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo





14. Eu não esperava isso, mas eu amei.




Suspirei deitando a cabeça em seu peito.



– Eu te amo. – sussurrei e um sorriso imenso se espalhou em meu rosto com sua resposta.



– Também te amo, meu amor.



Bocejei, e senti os braços dele mais firme em minha volta e relaxei adormecendo rapidamente. O dia tinha sido exaustivo, mas o final estava sendo perfeito. E esperava que continuasse assim.



Abri os olhos de repente e olhei em volta, reconheci o quarto de Edward e sorri me lembrando do que fizemos mais cedo. O dia tinha sido tenso demais, mas o resto dele havia sido perfeito.


Bocejei rolando na cama e notei que estava só. Cadê Edward? Quis levantar e procurá-lo, mas estava com preguiça, ele viria até mim eventualmente.



Agarrei o travesseiro dele que tinha seu cheiro e gemi o abraçando apertado, fechei os olhos, quando ouvi barulhos de passos, mas continuei deitadinha.



– Não quero saber Carlisle, ele não tinha o direito... – ouvi Edward, ele parecia irritado.



– Não, e não. Não me importa que ele é meu primo, ele não pensou nisso antes de ofender a mulher que eu amo. – Edward grunhiu. – Uma porra que ele não sabia, você e Esme sabiam, era muito obvio.



Abri os olhos e o vi andando de lá pra cá, ele grunhia e acenava. Ele usava somente uma calça de moletom e quase babei em seu corpo, ok eu babei um pouquinho.



– Eu entendo Carlisle, eu vou resolver isso na segunda... – ele parou e olhou pra cama e sorriu. – Sim eu irei ai. – arquei uma sobrancelha e ele fez o mesmo.



Ri e voltei a fechar os olhos, senti a cama afundando e sua mão em meu corpo, suspirei e me virei para encará-lo largando o travesseiro, sua mão foi imediatamente para meu seio, e suspirei quando ele esfregou meu mamilo.



– Já disse que vou Carlisle. Estarei ai a partir da uma.... até logo. – ele desligou o telefone e o jogou na cama e deitou sobre mim me beijando.



– Hmmmm... – gemi o abraçando pelos ombros, ele riu contra meus lábios, se afastou me dando beijos em todo meu rosto.



– Olá dorminhoca. – ri.



– Dormi tanto assim?



– Já é de noite.



– Merda! Meus pais ligaram?



– Sim, eu disse que você passou o dia fora, que chegou e já foi dormir. Perguntei se queriam que acordasse você, mas eles disseram que não, mas avisá-la de manhã que só voltam à tarde. – ri mais.



– Alguém vai se divertir hoje à noite. – Edward riu descendo a mão entre minhas pernas.



– Alguém vai se divertir aqui também.



– Oh... – arquei meu corpo quando seus dedos entraram em contato com meu clitóris.



– Será que já está molhadinha?



– Edward.... – seus dedos escorregaram para minha entrada e gemi alto quando dois dedos seus entraram em mim.



– Muito molhadinha.



– Merda! – sua boca veio para meu pescoço, lambendo e chupando enquanto seus dedos faziam loucuras na minha boceta.



Seus lábios desceram para meus seios e ele tomou um mamilo na boca, chupando e lambendo o bico. Sua outra mão foi para o outro seio, e ficou girando meu mamilo entre os dedos, meu corpo pulsava e queimava, e não demorei muito em vir em sua mão.



– Mas já amor? – eu corei rindo.



– Desculpe não aguentei muito. – mordi o lábio e ele sorriu e beijou meus lábios lentamente, sua língua brincando com a minha.



Agarrei seu cabelo entrelaçando meus dedos nos fios, Edward grunhiu chupando minha língua e esfregando sua ereção muito dura em mim. Tirei uma das mãos do seu cabelo e desci pelo seu corpo a colocando dentro da calça, gemi ao pegar em seu pau quente. Edward rosnou afastando a boca da minha e sorri enquanto apertava seu pau e o acariciava lentamente.



– Bella....



– Sim? – olhei inocentemente o que o fez gemer.



– Porra vai me fazer vir.



– Eu quero que você venha. – ele grunhiu.



– Não em minhas calças. – subi a mão até a cabeça do seu pau e esfreguei pegando o gozo ali e espalhando na cabeça.



– Onde quer vir Edward? Na minha boca ou na minha boceta? – seu pau pulou em minha mão e ri. Desci para suas bolas e as massageei.



– Merda...



– Me diga Edward...



– Porra... sua boca. – sorrindo tirei as mãos da sua calça o empurrando na cama e me apressei em livrá-lo da calça, assim que ela estava fora montei nele, minha mão estava de volta nele, e minha boca fazia companhia.



Edward gritou quando suguei a cabeça e comecei a dar chupadas em todo seu pau. Desci meus lábios por seu cumprimento até chegar as suas bolas e as chupei, sugando uma de cada vez, sem deixar de massagear seu pau.



– Merda vou vir... – ele grunhiu e sorrindo voltei a chupar seu pau o ordenhando para que viesse em minha boca.



Continuei massageando suas bolas enquanto o sugava, seus quadris já tinham vontade própria indo e vindo em minha boca, como se fosse uma boceta e ele não conseguia parar de foder.



Eu estava excitada de novo.



Edward gritou agarrando meu cabelo quando veio e o engoli sentindo os jatos da sua porra em minha boca, relaxei a garganta para engolir me deliciando com seu sabor.



Quando ele terminou largou meu cabelo caindo na cama e sorri dando um beijo em seu pau e o limpei. Lambi meus lábios e sorri ao ver que ele me observava parecendo muito satisfeito.



Pisquei pra ele e me levantei, eu precisava de um banho, entrei no banheiro e lavei a boca na pia, e fui para o chuveiro, comecei a testar a temperatura e senti o corpo de Edward atrás de mim, seus braços me rodearam e relaxei contra seu peito.



– Quer companhia?



– Sempre. – ele sorriu passando a mão por meu corpo subindo até meus seios e os apertando e descendo em seguida até minha boceta e me penetrando com dois dedos.



– Hmmm, você está molhada. – ri.



– Estou sempre molhada pra você. – ele rosnou mordendo meu pescoço.



– Sua safadinha... – ele se esfregou contra mim e suspirei ao senti-lo duro novamente.



– Oh... – Edward riu.



– O que? Surpresa que eu a quero de novo?



– Um pouco. Mas adorando. – ele riu e chupou meu pescoço.



– E aquele banho? – me virei pra ele pegando a sua mão e o puxando para o Box.



– Venha, quero que me foda no chuveiro. – Edward gemeu, e me agarrou me empurrando para de baixo da água.



– Seu desejo é uma ordem.



[...]



Edward vestiu sua cueca boxer preta e eu só queria arrancá-la com os dentes e montar nele de novo, mas ele me proibiu, aquele chato.



– Não me olhe assim.



– Assim como?



– Como se eu a tivesse colocado de castigo. – bufei.



– E não colocou?



– Bella, amor, vamos você tem que comer.



– Mas eu quero você.



– E vai me ter a noite toda e amanhã também. – piscou e meu humor melhorou infinitamente.



– Ok. – ele riu e me puxou para fora da cama, me abraçando, sua mão espalmou minha bunda e ele gemeu.



– Porra, você está sem calcinha? – sorri.



– Você me mandou vestir sua camiseta, não disse nada de calcinha, - mordi o lábio e ele gemeu.



– Menina perversa. – me deu uma palmada e ri o empurrando e correndo para baixo.



Ele grunhiu me seguindo.



Chegamos à cozinha e suspiramos tristemente quando vimos à lasanha de Esme. Ela estava tão animada para esse almoço. Maldito Jasper!



Abracei Edward pela cintura beijando seu braço, ele me olhou e sorriu.



– Você sempre pode convidá-la novamente Edward.



– Duvido, eu demiti Jasper, acredito que ela não vai querer mais vir aqui. – ele realmente parecia tão triste, peguei sua mão e o levei até a mesa onde nós fazíamos as refeições na maioria das vezes e o empurrei em uma cadeira e montei nele. Segurei seu rosto para que me encarasse.



– Hey escute aqui Edward Masen, não importa o que aconteça, sua tia nunca vai deixar de te amar e se importar com você. Ela conhece muito bem o filho que tem, e sabe que a demissão dele foi por sua própria culpa.



– Você acha?



– Eu sei que sim. Agora vamos parar de rabugice e comece a me alimentar, para que possamos voltar lá pra cima e você comece a me foder como prometido. – seu pau cresceu de baixo de mim e sorri.



Ele gemeu.



– Porra Bella.



– Eu não fiz nada. – sorri abertamente, e ele grunhiu me beijando em seguida.



Com certeza o jantar estava esquecido.



[...]



Sorri abertamente para meus pais quando eles chegaram domingo a tarde, minha mãe parecia muito feliz, e meu pai muito envergonhado. Mas feliz por ter passado um tempo sozinho com mamãe.



Os abracei e passei algum tempo com eles. Achei melhor não contar como havia sido a visita dos Cullen, já que pra todos os efeitos, eu nem estava em casa no dia. Então me concentrei no fim de semana deles, e quando perguntaram do meu só falei que fiquei com Seth e Claire.



Na hora de dormir escapuli para o quarto de Edward, mas estávamos tão cansados de transarmos o dia todo que só dormimos.



De manhã sai antes de ele acordar, e fui me preparar para a escola, quando entrei na cozinha encontrei mamãe cantarolando e a abracei.



– Bom dia mãe.



– Bom dia amor.



Me sentei me servindo de café e pão e comi rapidamente, logo Seth estaria ai.



– Vai fazer algo hoje Bella? – mamãe perguntou se sentando comigo e a olhei dando de ombros.



– Seth e eu não planejamos nada, mas acho que não.



– Ok, se for nos ligue.



– Claro. – terminei de comer quando ouvi a buzina, dei um beijo nela e corri para fora, Seth acenou alegremente.



– Hey Bellarina.



– Oi Sethrino. – seu nariz torceu.



– Sério?



– Você que começou. – ele rolou os olhos. Entrei no carro, e ele começou a dirigir.



– E ai como foi o fim de semana?



– Foi bom. – ele sorriu.



– Eu aposto que foi, você e o Edmilson fizeram muitas loucuras. – ri e o ignorei. – Vamos lá Bella, me de algo pra trabalhar aqui.



– Seth pare de ser um fofoqueiro, não vou te falar quem é meu namorado.



– Você é uma péssima melhor amiga.



– Tá como se você vivesse sem mim. – ele me mostrou a língua e o belisquei o fazendo rir. – E ai como foi com Claire? – suas bochechas coraram tão forte que foi possível ver sobre da sua pele morena.



– Her... legal, maneiro, foi bom? – comecei a rir.



– Puta merda, vocês transaram.



– O que? – ele guinchou, mas podia o ver tentando evitar o seu sorriso comedor de merda.



– Não finja, eu posso ver.



– Tá, mas não diga a ela que eu te disse.



– Por que, foi ruim?



– Não, foi bom. Na terceira vez. – ele corou violentamente e não pude deixar de rir. – Hey cadê a sua solidariedade?



– Desculpe Seth, mas não fique assim, a primeira vez é sempre uma merda.



– A sua foi?



– Lógico, o moleque não conseguia acertar minha vagina nem que sua vida dependesse disso. – ele começou a gargalhar.



– Sério?



– Oh sim, e o idiota além de me machucar gozou e dormiu. Cara eu nunca fiquei tão revoltada.



– Que merda Bells.



– Eu sei. Lógico que chutei a bunda do idiota na mesma noite.



– Ele ficou muito chateado?



– Claro, levar um chute na bunda de uma menina nunca faz bem para o orgulho.



– Você realmente o chutou na bunda?



– O que você queria? Depois de dormir, ele acorda e diz que foi muito bom, mas não quer nada serio comigo.



– Que idiota.



– Né, o mane achava que estava podendo. Duvido que ele continuou pensando assim depois de levar um chute.



– Espero que o Edvanson esteja te dando um tratamento melhor. – dessa vez eu corei e ele riu alto. – Com certeza está.



Finalmente chegamos na escola e sai do carro, ele veio para meu lado e me abraçou pelo ombro.



– E ai quando eu vou conhecer o “namorado misterioso”?



– Eu gostaria que você o conhecesse, mas é meio complicado. – ele parou de andar.



– Ele é casado?



– O que? Não.



– Então o que tem de complicado?



– Ele é muito mais velho que eu.



– Isso é complicado. O quanto mais velho?



– Ele poderia ser meu pai. – ele arregalou os olhos.



– É o seu pai?



– Ew que nojo Seth. – ele deu de ombros.



– O que? Você sabe como essa juventude está perdida. – dei um tapa em seu estomago e voltei a andar.



– Vai te catar Seth. Ele não é meu parente, é gostoso e um cara legal. Mas é mais velho que eu. E isso vai ser complicado.



– Seus pais?



– É, duvido que eles aceitariam.



– Mas não é só um namorico? – neguei.



– Não eu amo ele de verdade, e ele a mim.



– Que lindo. – ele sorriu e ri.



– Cara você é muito gay. – ele bufou e engrossou a voz.



– Que isso menina. Preciso trazer a Claire aqui pra provar a minha masculinidade?



– Deus não, dispenso. Falando nisso cadê sua mulher?



– Ela teve que vir com o chato do Jake hoje, mas a gente se vê no almoço.



Assenti e fomos para a sala.



Minha mente em Edward, e toda a nossa situação. Será que meus pais seriam tão contra Edward e eu? Eles o adoravam, mas talvez não gostassem de ver sua filhinha saindo com um homem tão mais velho. Mesmo esse sendo Edward.



O dia passou rapidamente, Seth me acompanhava as aulas fazendo piadas do meu primeiro cara e eu zoando ele da sua perda de virgindade. Estava muito divertido, na hora do almoço Claire me sequestrou para ter um papo de menina e me contou da sua primeira vez com Seth.



Na verdade não era a primeira vez dela, só dele. E foi complicado no começo, mas ela o ensinou o que gostava e eles estavam dispostos a aprender juntos, então acabou sendo bom. Fiquei feliz por eles.



Na hora da saída estava provocando Seth sobre seu grito de gay na sala de biologia quando caiu um liquido suspeito nele, lógico que era só água, mas até alguém explicar pra ele, ele já havia dado um escândalo.



– Bella podia ter sido acido!



– Mas não era.



– E eu gritei como um macho.



– Tá, deixa eu colocar o vídeo no youtube e ai a gente vê o que as pessoas pensam. – ele ofegou quando comecei a pegar meu celular.



– Você não fez?



– Lógico que eu fiz. – Claire somente ria de nós.



– Me da esse celular Bella.



– Nunca.



– Puta Merda, que homem gostoso. – Claire guinchou chamando nossa atenção e olhamos para ela.



– Porra Claire eu estou bem aqui. – comecei a rir.



–Cadê quero ver também.



– Bella, vou contar pro Edalintom que você tá babando em outros caras. – rindo o ignorei e olhei pra onde Claire estava babando.



Puta Merda!



– Ai meu Deus!



– Eu sei, ele é um tesão. – ele é, e ele é o meu namorado.



Em toda sua gloria de terno e óculos escuros estava meu Edward. O que ele estava fazendo aqui?



– Quem é esse cara? – Seth bufou e sem perceber falei.



– Edalintom.



– Edalintom não é seu não namorado?



– O que? Não.



– Espera... – ele olhou entre mim e Edward que agora estava sorrindo ao me ver. – Aquele é o namorado misterioso?



– Sim.



– Porra.



– O que ele faz aqui?



– Espera um minuto ai, aquele cara é seu namorado? – Claire parecia em choque e grunhi.



– Sim, eu... eu tenho que ir. Seth... – me virei pra ele, e o vi rolar os olhos.



– Se seus pais ligarem você esta comigo.



– Você é o melhor. Só por isso não vou mais colocar o vídeo na internet. – ele estreitou os olhos e dei um beijo em sua bochecha e outro em Claire que ainda parecia em choque.



Amanhã eu explicava pra ela.



Corri para onde Edward estava encostado em um carro muito lindo todo preto com vidros escuros, ele sorriu mais, e ficou ereto. Parei em frente a ele.



– Oi. – ele riu.



– Oi pequena.



– Eu... o que faz aqui?



– Eu tive que sair e resolvi vir fazer uma surpresa.



– Oh... legal. – cara ele estava aqui, fora daquela casa, eu mal podia acreditar.



– Então eu não ganho um beijo de oi? – ri e corando me aproximei mais dele e fui abraçada e tirada do chão.



Ow!



Seus lábios esmagaram nos meus e gemi agarrando seu cabelo, minha mochila foi ao chão, mas quem se importava?! Quando sua mão chegou na minha bunda e ele deu um apertão me fazendo gemer, eu não me importei menos ainda, e comecei a me esfregar nele.



Edward riu e afastou a boca da minha me dando um selinho e me colocando no chão.



– Tudo bem amor?



– Sim. – suspirei e ele riu o vi se abaixar e pegar minha mochila e abrir a porta do carro pra mim.



– Entre Bella.



– Vai me levar pra casa?



– Não. Vamos entre. – entrei e me entregou minha mochila, fechou a porta e foi para o lado do motorista.



Fiquei olhando pra ele meio em choque.



Ele realmente estava aqui, ele saiu. E veio me ver, com certeza eu estava dando o maior sorriso comedor de merda do mundo.



Quando ele entrou, ele sorriu e pegou meu queixo me dando mais um beijo.



– Eu te amo. – suspirei mordiscando seus lábios.



– Também te amo. – ele se afastou sorrindo e ligando o carro. Fiquei olhando pra ele como uma idiota e ele riu.



– O que?



– Não que eu esteja reclamando, por que eu não estou, você está um tesão de terno. – Edward riu alto.



– Obrigada eu acho. – sorri. – Então por que o sorriso?



– Há é que estou meio surpresa, por quê está vestido assim, e por que veio me ver, por que saiu de casa?



– Calma amor. Uma cosia de cada vez. Eu estou de terno por que tive que ir a empresa.



– Você realmente foi?



– Sim, Carlisle não quer assumir os negócios por causa de Jasper, ou eu faço ou arranjo alguém. Eu precisei ir.



– Deve ter causado uma comoção quando chegou lá em. – ele riu.



– Na verdade sim. Foi uma bagunça.



– E está tudo bem?



– Sim, tudo em ordem. Mas eu vou ter que ir lá mais vezes do que eu queria.



– Oh... – isso significava que não nos veríamos com tanta frequência.



– Mas só de manhã, minhas tarde e noites são suas. – ele se apressou em dizer e sorri.



– Sério?



– Sério.



– Bom, mas por que veio me buscar? – seu sorriso era gigantesco.



– Por que nós estamos tendo um encontro.



Puta Merda!



Eu não esperava isso, mas eu amei.





Continua....







2 comentários:

tete disse...

muito legal amei ele e demais beijos e uma otima noite para vce

LAV RIBEIRO disse...

ah que bom...o amor faz milagres

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o post: