FANFIC - AGORA E SEMPRE - CAPÍTULO 41

Olá Amores!!! Hoje vamos curtir o 41° capítulo de "Agora e Sempre". Quer acompanhar a história desde o início?Clique aqui.


Edward Cullen põe fim a um fatídico relacionamento com a sua prima Tanya, que inconformada tenta de todas as maneiras trazer-lo de volta para sua cama, onde de fato ele esteve pouquíssima vezes. Isabella Swan de uma forma marcante conhece Edward Cullen irmão de sua melhor amiga Alice, e mesmo sem está preparada se entrega a magia do momento e tem uma maravilhosa noite de amor, porém nem tudo são flores.Será que o amor sobreviverá as armações, intrigas, mentiras, e a uma ex?


Autora : Mery Arruda
Classificação: +18
Gêneros: Hentai, Drama, Romance
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo




Capítulo 23 Desespero!




Por Edward.




— Edward? — Emmett me chamou, assim que desliguei meu celular. — Está tudo bem?

Acabará de receber aquele maldito telefonema, e tinha certeza que era a Tanya, com mais uma de suas armações, será que ela nunca iria me deixar em paz? Custava entender que nada poderia me ligar a ela, que nunca houve amor.

Olhei pra ele, lentamente antes de responder.

— Tenho certeza que é a Tanya com mais uma de suas armações.

— Não estou entendendo?

— Ela acabou de ligar dizendo que estava sangrando e pedindo ajuda.

— E...?

— Eu acho que é mais uma de suas armações. — Passei as mãos pelos meus cabelos. — Deus ela nunca vai nos deixar em paz!

— Calma mano...

— Calma? — Perguntei um pouco alterado. — Eu vivo em constante tensão, temeroso que essa louca se aproxime de Bella e tente alguma coisa.

— Não é fácil, eu sei. Mas nada vai acontecer.

— Toda vez que estou distante de Bella e meu celular toca fico com meu coração na mão. — Respirei fundo. — Agora mesmo sinto meu coração apertado, como se alguém ou alguma coisa estive esmagando-o, uma aflição.

Andei ate o banheiro da sala e joguei água em meu rosto.

—É como se fosse algo com a Bella, como se ela estivesse passando por alguma coisa e precisa-se de mim, sinto-a me chamando.

— Ela está com a Mamãe, Alice e Rose, se tivesse acontecido alguma coisa elas entrariam em contato.

— Eu sei, mas...

Meu celular voltou a tocar e corri ate onde o tinha soltado, peguei e atendi sem conferir quem estava ligando.

— Edward? — Era voz de meu pai, ligeiramente alterada.

Imediatamente senti um baque em meu coração.

— Diga pai?

— Edward... — Ele ficou alguns minutos em silencio, que se tornaram torturantes demais para mim. — Emmett está ai com você, eu preciso falar com ele.

Ele tentava me esconder algo, isso era certo.

— O que aconteceu... Por favor, diga logo. — Já fui procurando as chaves do carro por cima da mesa, mesmo sem saber, sentia que algo havia acontecido. — Não me esconda nada pai, eu sinto que aconteceu alguma coisa.

— Bella está bem meu filho, — Ele respirou fundo— Mas ela foi hospitalizada.

O desespero me tomou, eu estava certo...

— Onde ela esta?

— St. Paul’s Hospital.

— Estou a caminho.

Emmett que me observava o tempo todo já foi pegando as chaves do volvo.

— O que aconteceu? Você está tão pálido.

— Bella foi hospitalizada. — Falei já caminhado para o elevador, sendo seguido por Emmett.

— Deixe, eu levo o carro. — Emmett falou e eu agradeci mentalmente, pois sentia meu corpo tremulo.

Meu pai não havia dito mais nada a não ser que ela estava bem, mas hospitalizada. Um milhão de coisas passava por minha mente, o que haveria acontecido com ela? E por que minha mãe não havia ligado nem a Rose ou a Alice.

Passei o trajeto todo ate o hospital pedindo a Deus que não permitisse que nada de mal acontecesse com Bella e nossos filhos.

Assim que chegamos corri para pedir informações e logo fui guiado ate uma sala de espera, e o quadro que encontrei me alarmou ainda mais. Alice chorava abraçada a mamãe que também estava com o rosto banhado em lagrimas, Rose conversava com uma enfermeira, mas era possível nota que estava chorando também.

Esquadrilhei o local procurando por meu pai, e não o encontrei, minha mãe percebendo minha presença veio ainda chorando ate mim e me abraçou.

— Onde esta a Bella? — Perguntei já em desespero.

— Ela está sendo transferida para o quarto. —Falou ainda abraçada a mim. — Perdão filho. — Ela falava entre soluços. — Eu não deveria ter deixado Isabella só.

— O que aconteceu? — Perguntei já sentindo as lagrimas rolando.

Ao nosso lado Emmett já estava com a Rose aconchegada em seus braços que chorava desconsoladamente.

— A Tanya ela...

Mamãe começou a falar no momento que uma enfermeira vinha empurrando a maca onde minha vida estava deitada, me aproximei imediatamente e fiquei em choque, sua respiração era curta, mas profunda, ela estava com os olhos fechados e muito pálida, me desesperei.

— Senhor, não podemos...

— Filho? — Meu pai chamava-me, senti sua mão em meu ombro. — Edward, vamos conversar.

— Ela esta tão... Sem vida.

Toquei o rosto pálido dela, sentindo sua pele fria, aproximei nossas faces e beijei seus lábios gelados.

— Ela levou um grande choque meu filho, precisou ser medicada.

Continuei estático, olhando-a.

— Edward deixe-os instalá-la no quarto depois você pode fica com ela. — Eu estava aterrorizado. — Venha filho. — Meu pai me puxou, e com muita dificuldade me sentei em uma das frias cadeiras.

— Eu quero ficar com ela. — Levei minhas mãos ao rosto em desespero. — Eu preciso...

Tentei me levantar, mas fui impedindo por meu pai, o olhei questionando-o.

— Precisamos conversar.

— Mas eu quero esta lá quando ela acorda.

— Ela foi sedada, vai demora um pouco, a despertar— Ele se levantou, — venha filho vamos ate minha sala, sua mãe ficará no quarto com Isabella ate você voltar.

Eu precisava entender o que havia acontecido, Bella estava bem quando saiu de casa e agora estava desacordada sem vida. Sem alternativa caminhei com meu pai ate sua sala.

— O que há com Bella?— Olhei esperando uma resposta e rogando a Deus que não fosse nada grave, eu não suportaria a simples possibilidade já me mutilava. — Há algo com os meus bebês?

—Edward, seus filhos e Isabella estão bem, ela só precisa descansar um pouco, por isso foi sedada ela chegou em estado de choque.

— Mas o que aconteceu?

Perguntei desesperado esperando por uma resposta.

— Tanya tentou empurra a Bella da escada rolante.

Quem respondeu não foi meu pai, olhei pra porta que acabará de ser aberta e lá estava ela, Alice, seus olhos estavam vermelhos e inchados, sua expressão demonstrava o mesmo que sua voz, ela estava destroçada.

— Foi tudo muito rápido, mamãe ficou com Rose em uma loja enquanto íamos a uma lanchonete, Bella queria um suco — Sua voz estava chorosa. — Só que esquecemos nossas bolsas e voltei para pegar, era tão próximo da loja, o Shopping estava lotado, não vi perigo em Bella fica um único segundo só, eu juro que não vi perigo... Eu sinto muito.

Ela voltou a chorar, seu corpo minúsculo tremia devido aos soluços. Caminhei até ela abraçando-a.

— Shiu... Calma, eu sei que você não teve culpa Alice, não se martirize deste jeito.

— Você não entende, poderia te sido a Bella rolando naquela escada, — Ela chorava descontrolada mente, — Foi horrível, quando eu percebi o alvoroço, todo mundo correndo...

Alice ia falando, mais meus pensamentos estavam em Bella, no perigo que ela havia corrido na aflição que ela deveria te sentido.

— Quando estava voltando da loja percebi que todo mundo corria para o lugar onde Bella havia ficado, próximo a escada, e me desesperei quando percebi que tinha um corpo caindo... Eram gritos, por todos os lados. — Ela me encarou. — Mas quando cheguei perto vi que Bella estava estática, olhando o corpo que caia... — Alice fitou o vazio e pela sua expressão estava revivendo o momento. — Era a Tanya.

— Tanya?

— Sim, Tanya.

— Como...? O que...?

Meu coração mais uma vez se apertou com a constatação do perigo que Bella havia passando. Condenei-me mentalmente, não deveria ter permitido saírem sem mim. Bella e nossos filhos correram perigo, era meu dever esta com ela, protegendo-a.

— Ela tentou empurra a Bella...

— Santo Deus!

Alice enxugou as lagrimas e continuou falando.

—Angela amiga de Bella estava passando quando avistou Bella como estava distante ela achou melhor chamar por Bella para que ela não se afastasse, quando ela o fez Bella se virou para ver quem a chamava, foi quando a Tanya caiu... Foi por pouco... Se Angela não tivesse por lá... Deus se a Bella tivesse caído... Eu não me perdoaria...

— Mais graças a Deus ela não caiu Alice. — Falei levando-a para sentar na poltrona, papai trouxe um copo com água. — Tome um pouco e tente se acalma, preciso que me conte tudo que aconteceu, pode ser? Onde está a Angela, temos que prestar queixa.

— Ela teve que volta ao trabalho.

— Mas Bella tem o numero dela. — Passei os dedos entre meus cabelos.

— O que foi Edward? — Alice perguntou.

— A Tanya me ligou, antes de papai me avisar...

— Santo Deus! O que ela queria?

— Ela disse que estava sangrando e pediu que eu fosse socorrê-la...

— Ela fez de caso pensado...

— Eu sabia que tinha algo, eu senti como se Bella estivesse me chamando.

— Você tem que tomar uma atitude filho. — Disse meu pai.

— O que eu vou fazer? Já prestamos queixa e nada foi feito.

Minha vontade era de matar aquela filha de uma mãe.

— Ela esta hospitalizada aqui também. — Disse papai.

— O que?

— Ela chegou antes de Isabella.

— Sou capaz de esganá-la.

— Vão fazer a cesariana, a criança corre grande risco. — Disse meu pai.

— Eu só tenho pena da criança é um inocente e não tem culpa pelas loucuras da mãe. — Falei já me levantando, queria esta com Bella.

— Filho?

— Sim?

— Existe a possibilidade de ser...

— Existe... Infelizmente existe.

— E o que você pretende fazer?

_ Ainda não sei, a única coisa que eu quero fazer e pensar agora e na minha mulher e nos meus filhos, depois que tudo isso passar, vou pensar nesta loucura toda.

******

Bella ainda estava dormindo quando cheguei, caminhei ate a poltrona onde mamãe estava e me sentei. Ela percebendo o meu estado de nervos abraçou-me. Aconcheguei-me em seus braços e permiti que minhas emoções falassem mais alto.

Eu parecia um garotinho quando cai da bicicleta e vai chorar no colo da mãe. Eu posso não ser um garotinho, mas me sinto frágil nesse momento como um.

— Calma filho o pior já passou.

— Mamãe, eu falhei com ela...

— Não diga isso Edward, você não tem culpa do que aconteceu.

—Como não? E por minha culpa... Eu que me envolvi com a Tanya...

— Mas você não tem culpa dela ser louca, Edward ela não está em seu estado normal.

— E Bella corre todo perigo, hoje foi minha mulher, e amanha? Será um de nossos filhos?

— Edward não diga isso.

— Ela e louca! Já tentamos de tudo não foi? Conversamos com os pais dela e o que adiantou?

— Eu sei, mais...

— Não tem mais, ela não vai parar. Hoje foi Bella não posso esperar que amanhã aconteça novamente...

— O que você pretende fazer?

— Ainda não sei...

Não pude concluir a frase, pois a porta do quarto foi aberta e minha tia, mãe de Tanya entrou, sua expressão não era boa e em seus olhos havia ódio.

— É com você mesmo que quero falar Edward. — Disse ela com a voz alta.

— Carmem aqui não é a hora nem o lugar. — Disse mamãe.

— Lógico que é — Ela falou por entre os dentes. — É aqui que minha filha esta nesse momento por culpa dele, é a vida dela e de meu neto que corre perigo por culpa de seu filho.

— Meu filho não tem culpa de nada, sua filha...

Minha mãe ia continuar a falar, mas toquei seu ombro em um pedido mudo e olhei para cama, ela acompanhou meu olha e percebeu Bella estava se mexendo, com certeza essa movimentação estava perturbando seu descanso.

— Vamos conversar lá fora.

Falei caminhando e esperando junto à porta que minha tia saísse. Eu mais uma vez me vi rogando a Deus, mas nesse momento por orientação, pois me sentia perdido, sem direção.

Meu olhar vagou ate o leito que minha esposa estava, o único som audível no momento era sua respiração. Bella estava tão abatida, indefesa, eu me sentia impotente, vendo a razão de minha vida ali, sem vida sem pode fazer nada.

E para meu desespero tia Carmem caminhou ate Bella. Em fração de segundos eu estava junto delas e mesmo sem me importa com educação puxei minha tia de lá, arrastando-a para o corredor.

— Tenha modos Edward. — Ela tocou seu pulso. — Me machucou.

— Não te quero perto de minha mulher — Respirei fundo tentando me acalmar — Não era minha intenção machucá-la.

—Você só se preocupa com ela?

— Essa mulher é minha vida, vou me preocupar com quem?

— Isso não tem importância, vim aqui pra saber como vai ser, _ seus olhos faiscavam de ódio_ Pra lhe chamar a responsabilidade, seu filho está preste a nascer e Tanya esta muito mal devido à queda que sua mulher proporcionou.

— O que a senhora está falando? Que Bella é a culpada?

— Isso mesmo e vou prestar queixa, — Ela me olhou desafiadoramente. — ela tentou matar minha filha e por culpa dela meu neto, seu filho irá nascer fora de hora, precisará ficar na UTI, queira deus que ele escape.

— Se o seu neto...

— Seu filho Edward...

Respirei fundo e contei ate dez sempre disseram que esse exercício nos ajudava a manter a calma, mas comigo ele parecia não funcionar.

— Se seu neto esta nascendo fora de hora a culpa é única e exclusiva de sua filha. Caso a senhora não saiba ela tentou empurra Bella...

— Isso é mentira, vocês estão querendo encobrir...

— Temos testemunha e assim que MINHA ESPOSA sair daqui prestaremos queixa conta sua filha.

— É por isso que a Tanya vivia chorando, você a despreza, — ela me olhou incrédula. — como pode Edward abandonar minha filha grávida... Ignora não só a ela como ao seu filho? Não lhe toca o coração saber que seu filho estar preste a nascer, que precisará lutar para sobreviver, que nesse momento ele precisará de você, mais que sua querida esposinha...

Olhei pra ela incrédulo.

— A senhora não sabe mesmo? Ou a Tanya aprendeu a ser dissimulada com a senhora?

— Olha como fala comigo...

— Sabe como sua filha ficou grávida? — Ela ia falar, mas não dei oportunidade. — Ela não lhe contou? — Ela prendeu a respiração. — Sua filhinha ficou grávida em uma orgia. Dormiu não só comigo, mas com outros na mesma noite.

— Não me venha com mentiras Edward.

— MENTIRA? — Por mais que tentasse me controla estava difícil, muito difícil. — Essa criança pode ser minha sim, não nego, mas pode ser de qualquer outro que tenha ido pra cama com ela naquela noite.

— Eu não admito que se aproveite do estado da Tanya para tentar manchar a honra de minha filha— ela apontou o dedo para meu rosto. — Só para encobrir suas falhas.

— Minha única falha foi ter participado dessa “festinha”, só fui pra cama com sua filha por que ela estava mascarada. Santos deus a meses eu me escondia dela, ela tentava reatar a todo custo e eu não queria.

— Eu não acredito você está mentido...

— Meu filho está falando a verdade Carmem, a Tanya armou, pra cima dele. — Era minha mãe falando.

— Ele esta querendo correr da responsabilidade, de assumir meu neto. — Ela se virou pra mamãe. — Seu neto, que há esta hora deve esta sendo levado para UTI, enquanto seu filho joga o nome de minha filha na lama.

— Realmente pode ser meu neto. — Minha mãe falou olhando pra mim. — Afinal sua filha foi pra cama com meus filhos.

Vi minha tia dar um passo pra trás e levar a mão ao peito antes de falar.

— Seus filhos? — ela sussurrou.

— Sim Carmem meus filhos, sua filha foi pra cama com Edward e Emmett e como se isso já não bastasse, ela também se divertiu com o Jasper marido da Alice fora outros que estavam na festa.

— Isso é mentira!

— Não, não é.

Minha mãe caminhou ate mim.

— Isabella despertou, vá ficar com sua esposa.

— Obrigado mamãe.

— Espere ainda não terminamos. — Falou tia Carmem em minha direção.

— Não tenho mais nada a falar com a senhora, já disse o que queria.

— E seu filho Edward? — Perguntou ela.

— Se for meu, tomarei as medidas cabíveis isso a senhora saberá.

Não esperei resposta, nada mais me importava, a não ser Bella.

Ela estava apoiada sobre alguns travesseiros com as mãos sobre o ventre, conversava com nossos bebês, seu olhar se conectou com o meu assim que percebeu minha presença.

— Meu amor, que bom que acordou já estava preocupado.

Ela estirou os braços em minha direção e corri para perto dela, abraçando-a.

— Tive tanto medo Edward...

— Shii, o pior já passou e esta tudo bem com você e nossos bebês.

— Ela ia me empurrar, foi por pouco se não fosse a Angela.

— Eu sei a Alice me contou. — Beijei seu rosto ela ainda estava um pouco pálida e gelada. — Está com frio carinho?

— Um pouco, sente aqui comigo me abraçando.

— Lógico minha vida.

Ficamos abraçados em silencio por um longo tempo, eu fazia carinho em suas mãos e beijava seus cabelos, Bella se apertava a mim, seu corpo levemente tremulo.

— Bebê, eu vou cuida de você, se acalme.

— Eu estou calma, é só...

— é só?

— O que aconteceu com a Tanya? Não pergunto por ela, mas sim pela criança.

— Amor, ela foi socorrida... Precisaram fazer uma cesariana para tentar salvar a criança...

— Foi por isso que sua tia veio ate aqui?

— Você...

— Era impossível não ouvir, vocês não estavam falando baixo.

— Desculpe amor...

— Edward, eu quero lhe fazer um pedido.

— O que você quiser carinho.

Ela se afastou de forma que ficássemos frente um ao outro, seu rosto aos poucos ganhando cor, mas ela ainda demonstrava apreensão em seu olhar.

— Eu quero que faça o mais rápido possível o DNA.

— Bella isso não é o momento, não quero você preocupada amor.

— Edward, a Tanya não esta bem, não é a primeira vez que ela tentou algo contra nos, já imaginou se essa criança for seu filho, o que ela pode sofre na mão dela.

— Bella depois falamos disso, você tem que descansar...

— Prometa-me, que fará o mais rápido esse exame. — Ela encostou nossas testas. — Eu ficarei tranquila e você ficará mais tranqüilo também.

— Carinho e se...

— Se for seu, você vai luta pela guarda dele, não vai deixá-lo a mercê de uma desajuizada.

— Bella...

— Prometa-me Edward, pelos nossos filhos.

— Eu não sei se isso e o melhor...

— Você já imaginou o que ela vai fazer, ela é tão obcecada por você que poderá se vira contra essa criança, só para chamar sua atenção.

— Amor...

— Eu tenho medo Edward, por nossos filhos e por essa criança, você tem que prometer que vai pensar pelo menos no assunto, que se está criança for sua você lutará pela guarda.

— Vamos pensar tudo bem?

— Edward...

— Amor me escute agora tudo bem?— Beijei seus lábios levemente. — Eu te amo muito Bella, não existe nada mais importante no universo do que você e nossos filhos.

— Amor...

— Shiii, não quero você se preocupando— Ela tentou falar, mas calei-a com um beijo. — Pelo menos por hoje pode ser? — Ela assentiu e se aconchegou em meus braços mais uma vez.

— Só por hoje. — Ela disse.

Por mais que não quisesse pensar, Bella estava com a razão, existia uma remota possibilidade de ser minha está criança e a duvida só deixaria de existir quando o exame fosse feito. E só com o resultado em mãos eu poderia tomar uma decisão...

— Vai dormir aqui?

— Sim — apontei para o sofá. — Ali.

— Não seja bobo, essa cama cabe nos dois.

— Nos cinco? — Perguntei já sentindo o chute.

— Sim, cabe muito bem nos cinco. — Ela disse sorrindo enquanto se deitava e mostrava o espaço ao seu lado onde me deitei em seguida.

Não demorou muito e minha família veio se despedir. Alice ainda chorou abraçada a Bella, Rose estava um pouco tensa justamente como Emmett e Jasper, meus pais estavam apreensivos por mais que tentassem disfarçar, algo definitivamente não estava bem.

— Algo errado papai? — Perguntei um pouco afastado de Bella.

— Não filho, está tudo bem.

— Serio, não parece.

— Eu fui ver o filho da Tanya... É uma menina — Sua voz estava temerosa. — Ela é muito frágil, Tanya não fazia o pré-natal, não se alimentava direito. — Ele suspirou — Será um verdadeiro milagre a criança sobreviver.

Um inocente estava com a vida em risco, por culpa das loucuras da Tanya. Como ela não se preocupava com seu próprio filho? Um ser que estava crescendo dentro de seu ventre, que dependia unicamente dela, pra tudo, e ela o privou dos cuidados básicos. Esse ato de desamor só mostrava o ser mesquinho que ela era, desprovido de sensibilidade e sentimentos.

Bella tinha como sempre razão, essa criança seria mais uma vitima nas mãos de Tanya, ela seria capaz dos atos mais insanos, só para ter a atenção voltada a ela... Deus ate que ponto ela iria?

Voltei meu olhar para Bella, ela me sorriu, e esse gesto aqueceu meu coração, ela estava bem, havia passado por maus momentos, mas agora estava bem... E isso me bastava, só seu bem estar e de nossos filhos me importava agora. E faria de tudo para protegê-los.



Fim Por Edward



A culpa de nossos fracassos não deve recair sobre inocentes...

Ela esta sobre aqueles que não souberam discernir paixão de obsessão.

(Naiara)




Continua...




4 comentários:

LAV RIBEIRO disse...

sera que a filha de TÂNIA e de EDWARD?

Jannáyra Menezes disse...

Nossa que agonia. eu acho que nao. lav ribeiro*

Yasmim Oliveiradesouza disse...

Não gostaria que fosse do Ed essa criança,mas sei que o amor deles epé capaz para mais um bebe......

Joelma Pacheco disse...

Q bom q Bella e os bebes estão bem

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o post: